Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Policiais Penais da Paraíba aceitam proposta do governo para incorporar 100% da bolsa desempenho

O acordo foi firmado em reunião da categoria com o governador  João Azevêdo (Cidadania) nesta terça-feira (11)

Foto: divulgação/Secom-PB
Foto: divulgação/Secom-PB

Representantes da Polícia Penal da Paraíba aceitaram a proposta apresentada pelo governo estadual de incorporação de 100% da bolsa desempenho em 48 meses e reajuste salarial de 10% com efeito imediato. Além desses benefícios, também será concedido o aumento de 24% no auxílio-alimentação. O acordo foi firmado em reunião da categoria com o governador  João Azevêdo (Cidadania) nesta terça-feira (11), na Granja Santana, em João Pessoa.

O presidente da Associação Geral dos Policiais Penais, Wagner Falcão, enalteceu a capacidade de diálogo da gestão estadual e o respeito ao servidor público.  Já a vice-presidente do Sindicato dos Policiais Penais da Paraíba, Carol Brito, destacou que a incorporação da bolsa desempenho é uma grande conquista para a categoria.

Ao final da reunião, o governador João Azevêdo voltou a dizer que o objetivo da sua gestão é “acabar com essa insegurança dos profissionais provocada pelo bolsa desempenho, apresentando uma solução definitiva e que acaba com o problema de quem vai para a reserva, dando dignidade para quem passou 30 anos se dedicando à segurança do nosso estado e vamos continuar construindo novos avanços”.

O secretário de estado da Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca, destacou a valorização concedida à polícia penal. “Nós crescemos muito no governo João Azevêdo, a exemplo da criação da Polícia Penal e do PCCR, e essa proposta que foi feita para todas as forças de Segurança, resolvendo, em definitivo, um problema de mais de 12 anos, cuidando do inativo, dando tranquilidade ao profissional da ativa e parabenizamos a categoria pela decisão sensata que foi tomada”, avaliou.

Veja também  Na Paraíba, Léo Péricles defende nacionalizar riquezas para melhorar distribuição de renda no país

Alguns pontos ficaram de ser discutidos posteriormente como as progressões, segundo Wagner Falcão, e deverá ser feito um estudo sobre o assunto. Para ele, houve um entendimento de que o Governo tem olhado para a categoria com bons olhos. “Acreditamos que o que não foi consertado nesse momento, mais na frente será consertado”, afirma Falcão.

Outras categorias

A mesma proposta de incorporação em 100% da bolsa desempenho e de 10% de reajuste linear também foi apresentada para outras categorias das forças de segurança, como Bombeiros, Políciais Civis e Militares.

No caso dos policiais civis, representantes das categorias se reúnem ainda nesta terça-feira com o governador para ouvir uma nova proposta. O encontro estava agendado para às 16h. Amanhã (12), eles devem se reunir em assembleia para deliberar se acatam ou não a nova proposta do governador.

No caso dos policiais militares, que vem realizando protestos de rua em diversas cidades do estado, há ainda resistência à proposta apresentada pelo Executivo. João Azevêdo, no entanto, diz que tem insistido no diálogo, apesar de admitir que há limitação orçamentárias para atender a todas as demandas apresentadas pelos manifestantes.