Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Carnaval em Pitimbu: festas com ‘grande público’ e paredões de som estão proibidos

O decreto que estava em vigor liberava eventos com aglomeração na cidade. As restrições valem para esta semana de prévias até o dia 06 de março, primeira sexta-feira após o Carnaval.

Foto: Facebook/PMP
Foto: Facebook/PMP

A prefeita Adelma Cristovam dos Passos acatou recomendação do Ministério Público da Paraíba e editou um novo decreto com medidas restritivas contra a Covid-19 cancelando os eventos públicos e privados que possam gerar aglomeração de pessoas no município de Pitimbu, no Litoral Sul da Paraíba. O decreto que estava em vigor liberava eventos com grande público na cidade. As restrições valem para esta semana de prévias até o dia 06 de março, primeira sexta-feira após o Carnaval.

O novo decreto com medidas restritivas proíbe a realização de quaisquer festas ou eventos comemorativos de Carnaval ou prévias ou outros, em ambientes abertos ou fechados, promovidos por iniciativa pública ou privada, que possam gerar aglomeração de pessoas. São inclusive, mais restritivos que o decreto estadual, considerando a realidade local, como recomendou o MP.

Uma das principais preocupações da promotora de Justiça de Caaporã, Miriam Pereira Vasconcelos, é que havia a previsão de realização de grandes eventos em território de Pitimbu, a exemplo do Carnaval da Praia, inicialmente agendado para os próximos domingo (27) e segunda-feira (28).

Veja também  Mais um: vereadores do Republicanos de Diamante têm mandato cassado pelo TRE-PB

Conforme a recomendação, o evento deve ser cancelado e qualquer outra solicitação que venha a ser feita ao município deve ser negada, até que ocorra novo controle da transmissibilidade do coronavírus no território.

O decreto municipal também veda o uso de paredão de som e congêneres em toda a extensão do território do município de Pitimbu e estabelece que os agentes de fiscalização municipal deverão reforçar as vistorias quanto à proibição da realização de festas e eventos, coibindo aglomerações, bem como quanto à obrigatoriedade do uso de máscaras e distanciamento social.

Alerta

A recomendação foi expedida pela promotora de Justiça de Caaporã, Miriam Pereira Vasconcelos, em razão do agravamento do cenário epidemiológico apresentado nas últimas semanas, inclusive com o pico previsto exatamente para o fim de fevereiro e início de março, e da necessidade de adoção de medidas mais restritivas.

Além disso, é ressaltado ainda na recomendação que o índice de transmissibilidade da doença (RT), em Pitimbu, é de 2,541, ou seja, cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 254, conforme dados extraídos do portal da UFPB.