Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Panta “detona” Cagepa e críticas respingam na formação de chapa governista com Aguinaldo

O que se vê é o prefeito, aliado de  primeira ordem de Aguinaldo Ribeiro (PP), virtual pré-candidato ao Senado na chapa do governador João Azevêdo (PSB), fazendo críticas duras à gestão de uma das principais empresas do governo do estado.

 

O prefeito de Santa Rita, Emerson Panta (Progressistas), cancelou o contrato com a Cagepa e contratou uma nova empresa para administrar os serviços de água e esgoto na cidade.

O novo Marco Legal do Saneamento prevê essas mudanças,  com cobranças de metas de desempenho, ano a ano, para empresas públicas e privadas, quando assumem o compromisso de “universalizar o serviço”.

A questão é que Panta não só rompeu o contrato, mas “atacou” a Companhia, briga na Justiça pelo direito de manter outra empresa à frente dos serviços. E, na nota enviada à imprensa para justificar a mudança, acusou a Cagepa de inoperância.

“A falta de investimentos sucateou a infraestrutura do sistema de saneamento e manteve, em plena área central da cidade, mais de doze quilômetros de tubulação de amianto – matéria-prima de baixo custo com potencial cancerígeno, proibida pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, alega o prefeito em um dos trechos.

O que se vê é o prefeito de uma das cidades mais importantes do estado, aliado de  primeira ordem de Aguinaldo Ribeiro (PP), virtual pré-candidato ao Senado na chapa do governador João Azevêdo (PSB), fazendo críticas duras à gestão de uma das principais empresas do governo do estado.

Veja também  TCE mantém Janine Lucena no cargo de secretária-executiva de Saúde de João Pessoa

A decisão de Panta tem efeito político-eleitoral transversal. Afinal, é vista no governo estadual como uma “agressão” e repercute de forma negativa na imagem da Companhia em qualquer tempo, e mais ainda em um ano como esse.

Basta ver que a Cagepa já recorreu à Justiça paraibana, que remeteu o pedido para retomar o contrato ao STJ. Cagepa e governo não estão nada felizes com a mudança.

No campo político-eleitoral, temos um Aguinaldo que quer união de partidos (como Republicanos) aliados de João em torno da sua possível candidatura à senatória. Uma condição fundamental para a disputa.

O problema é que, com as duras críticas, o prefeito de Santa Rita, dentro do grupo, coloca mais separação nessa tentativa de unidade. Aliás, bota a bola no gol para a oposição chutar.

Uma decisão administrativa que entra em conflito com interesses eleitorais do Progressistas e do governador. As consequências  chegarão na proporção dos tensionamentos.

Enfim, Panta “detona” Cagepa e críticas podem respingar na formação de chapa governista com Aguinaldo (que ainda não disse, publicamente, o que vai fazer da vida na corrida eleitoral de outubro).