Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Maísa na vice de Veneziano é um reconhecimento da força política de Cartaxo em João Pessoa

O nome foi aceito pela Federação PT, PC do B e PV e era da preferência de Veneziano, já que o próprio Cartaxo não estava disposta a ser vice. A  ex-primeira dama, por sua vez, goza de um respeito político que a ajudou na escolha.

Foto: Divulgação

O ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT),  já deve ter absorvido a derrota de 2020, mesmo saindo da prefeitura da capital com quase 70% de aprovação.

Claro que sempre fica aquela pergunta: onde foi que eu errei? Para muitos analistas do cenário político mexeu equivocadamente nas peças para escolher o nome da sucessão.

Para evitar riscos maiores na carreira política, agora em 2022, resolveu disputar uma vaga na Assemebleia Legislativa. Nada de novidade, Cartaxo nunca foi um político arriscar ao extremo, sem a segurança de que o solo está firme para dar novos passos.

Por isso, em 2018, abriu mão de ser pré-candidato ao governo, em um cenário, à época, de muita insegurança com os aliados. Podia deixar a prefeitura em abril daquele ano e não ter apoio integral para candidatura em outubro. No fundo, tinha medo de traição e de perder força até o dia da disputa.

Nesta batalha eleitoral, de 2022, já pode contabililizar uma “vitória”: o reconhecimento de aliados e adversários de que ainda tem força política em João Pessoa, mesmo após a derrota e desetruturação do seu grupo.

Veja também  PCO registra candidatura de Adriano Trajano ao governo da Paraíba e define vice

O símbolo desse reconhecimento foi a confirmação do nome da esposa, Maísa Cartaxo (PT), para ser a vice de Veneziano Vital (MDB), na convenção conjunta, nesta sexta-feira (05), na capital.

Tudo bem que essa “vitória” só se consolidará se Veneziano ganhar a eleição, mas, de alguma forma, Cartaxo conseguiu, num cenário de disputa interna, ver seu “sobrenome” ser excluído e, por força da necessidade de fortalecimento eleitoral, ser recolocado na chapa majoritária.

O nome foi aceito pela Federação PT, PC do B e PV e era da preferência de Veneziano, já que o próprio Cartaxo não estava disposta a ser vice. A  ex-primeira dama, por sua vez, goza de um respeito político que a ajudou na escolha.

Em resumo, Maísa na vice de Veneziano é um reconhecimento da “força eleitoral” que Cartaxo ainda tem em João Pessoa. Para o grupo dele é uma forma, inclusive, de manter o sobre nome “fresco” na cabeça do eleitor para disputas futuras.