João Paulo Medeiros

Além de ‘carão’ de bispo, projeto para aumentar salário de prefeito tem parecer pela inconstitucionalidade

Proposta está sendo analisada pela CCJ

Prefeitura de Patos, na Paraíba — Foto: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba
Prefeitura de Patos, na Paraíba — Foto: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba

O projeto que aumenta em 42% o salário do prefeito de Patos e concede reajustes também ao vice e secretários municipais deve não prosperar. É bem provável que ele seja arquivado na CCJ da Câmara, diante da pressão popular e até de um ‘carão’ público ontem, dado pelo bispo Dom Eraldo Bispo da Silva.

O religioso classificou como “escândalo” a iniciativa.

E ele não exagerou. A proposta é de causar vergonha e passa longe de qualquer razoabilidade.

Além de imoral, o projeto tem também o vício da inconstitucionalidade. Pelo menos essa é a opinião da Procuradoria da Câmara. Ao analisar o projeto, o procurador da ‘Casa’, José Lacerda Brasileiro, posicionou-se contrário à matéria.

Veja também  Presidente do TJPB sai em defesa das urnas eletrônicas e da Justiça Eleitoral

“Meu parecer foi pela inconstitucionalidade”, disse ao Blog.

Em 2020 a Câmara tentou aumentar de R$ 17 mil para R$ 27 mil os salários do prefeito, do vice e dos secretários, em plena pandemia. A proposta chegou a ser aprovada, mas foi derrubada na Justiça. 

Os vereadores de Patos precisam deixar de passar vexame…

Veja o que disse o bispo Dom Eraldo