Hospital Arlinda Marques tem terceiro vazamento de gás em menos de 15 dias

Primeiro acidente aconteceu no dia 11 de maio. Já o segundo, na última sexta-feira (20).

Caminhão desentupidor esteve no local para tentar desobstruir galeria e amenizar vazamento de gás. Foto: Plínio Almeida.

Um novo vazamento de gás foi registrado no Hospital Infantil Arlinda Marques, em João Pessoa, na tarde desta segunda-feira (23). Outros dois acidentes ocorreram neste mesmo mês, em um intervalo menor que 15 dias. O primeiro caso aconteceu no dia 11 de maio. Já o segundo, na última sexta-feira (20).

Desta vez, o vazamento foi percebido por volta das 14h e aconteceu no setor de urgência. Os pacientes, acompanhados pelos pais, foram realocadas na recepção e outras dependências do ambulatório.

Um caminhão desentupidor da prefeitura esteve no local para tentar desobstruir a galeria e amenizar o vazamento dos gases, que circulam pelo esgoto, que passa por baixo do hospital.

A direção da unidade hospitalar reforçou que os gases são oriundos do esgoto e que o problema geralmente acontece em períodos chuvosos. A previsão é que o atendimento de urgência seja normalizado na terça-feira (24). Até lá, os pacientes devem permanecer no ambulatório.

Direção do hospital foi notificada para contratar empresa especializada em análise de gases e ar

Já na manhã desta segunda (23), uma equipe do Ministério Público da Paraíba (MPPB) fez uma nova inspeção, junto com a Vigilância Sanitária do Município de João Pessoa (GVS-JP). A vistoria foi realização porque na última sexta-feira (20), ocorreu o segundo vazamento de gás na unidade. A situação só teria sido normalizada na manhã do sábado (21).

Veja também  Paraíba tem mais de 829 mil pessoas sem dose de reforço contra a Covid-19

A direção da unidade hospitalar foi notificada pela VGS-JP para providenciar, de forma imediata, a contratação de empresa especializada em análise de gases e ar para verificar o que está provocando os vazamentos.

Ainda na inspeção, a diretora de Atenção à Saúde, Aline Grisi, afirmou que vai manter contato com representantes da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa) e com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra), para solicitar urgência na análise das galerias e efluentes que circundam o hospital, para identificar se o vazamento tem como origem algum desses locais.

A direção do Arlinda Marques tem cinco dias para apresentar ao MP a comprovação das ações implementadas para atender as recomendações da GVS-JP.