Pedi para Caetano cantar “Boas Festas”, de Assis Valente. Live natalina será neste sábado

Hoje (sábado, 19), às nove da noite, tem a aguardadíssima live natalina de Caetano Veloso.

Por isto, acordei com uma palavra na cabeça: CAETANÓFILO.

Tem cinéfilo (Caetano é um deles), que a gente usa tanto.

Tem audiófilo, que é completamente diferente de discófilo.

Tem, então, CAETANÓFILO.

Caetano + filo.

Filo, do grego philos.

Acompanho o cara tão de perto, desde aquela remota noite em 67, que acho que posso estar entre eles, os CAETANÓFILOS.

E é com o amor dos CAETANÓFILOS que sigo os passos desse grande artista brasileiro.

Para a live natalina, Paula Lavigne sugeriu que as pessoas (fãs, amigos, gente famosa, gente anônima) fizessem seus pedidos. Deles, virão canções que comporão o set list de hoje à noite. Foi uma ideia muito bacana, que acompanhamos através de vídeos e mais vídeos enviados para Caetano e vistos nas redes sociais.

Se incluídas no repertório, atenderão ao mesmo tempo a vários pedidos canções como Sampa, O Leãozinho, Podres Poderes, Tigresa, Um Índio e Trem das Cores.

Mas houve pedidos muito singulares: Peter Gast (pelo menino Otto), Giulietta Masina (por Carlinhos Brown), Noite Luzidia (por Maria Bethânia).

Optei por evitar os grandes hits e pedi uma música que não foi composta por Caetano, mas que faria muito sentido na noite deste sábado.

Sim. Pedi Boas Festas.

“Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel…”. Quem não conhece?

Veja também  Vocês sabem o que é ter um professor de música clássica dentro de casa? É luxo absoluto!

É um verdadeiro clássico do cancioneiro popular brasileiro. E é a grande canção natalina feita no Brasil.

O autor é o baiano Assis Valente, que também compôs Brasil Pandeiro.

Boas Festas foi composta por um homem solitário, com saudade da família, no natal de 1932 e, gravada por Carlos Galhardo, fez grande sucesso na festa natalina de 1933.

Pedi por Valente, pelo Divino, Maravilhoso (Caetano gravou a música para o programa tropicalista, pouco antes de ser preso pela ditadura em 1968) e pelos Novos Baianos, que fizeram uma regravação nos anos 1970.

Pensei ainda no sentido que ela, com sua melancolia, faz nesse estranho natal de 2020.

*****

Essa história de fazer pedido para entrar no set list de um artista como Caetano é tão estimulante que arrisquei mais um.

Depois de Boas Festas, fui de In The Hot Sun of a Christmas Day.

Lado B total, é uma canção natalina possível para homens exilados como Caetano Veloso e Gilberto Gil. A letra é de Caetano, que dividiu a autoria da melodia com Gil, e a gravação, também de Caetano, está em seu disco londrino de 1971. Começa com uma citação de God Rest You Merry, Gentlemen, tema natalino popularizado em escala planetária. 

Sugeri In The Hot Sun of a Christmas Day mais pela oportunidade da lembrança dessa canção linda e triste do que pela possibilidade de vê-la no repertório da live.

Mas sigo apostando em Boas Festas.