Camila Esposte
Láuriston Pinheiro

Ricardo Botelho, presidente do Grupo Energisa, recebe prêmio Executivo de Valor

Evento on-line apontou 24 CEOs eleitos por suas habilidades de liderança e gestão em 2020.

O presidente do Grupo Energisa, Ricardo Botelho, conquistou na semana passada o prêmio Executivo de Valor 2021 por sua gestão no setor elétrico. Em evento on-line realizado pelo jornal Valor Econômico, foram reconhecidos 24 gestores que se destacaram no ano passado em cinco categorias: presidente de conselho de administração, jovem liderança, ativismo social, transformação digital e startup de sucesso.

A escolha dos nomes foi feita por 14 empresas  ligadas à AESC, associação internacional que reúne as principais companhias do setor de seleção de executivos, com atuação em 74 países. Elas levaram em conta o desempenho da empresa em 2020, a capacidade de o CEO implementar uma gestão voltada para a inovação e pautada pela sustentabilidade, diversidade e inclusão, além de sua habilidade de adaptação e reputação no mercado. A lista dos eleitos inclui nomes como Alexandre Birman (Arezzo&Co), Luisa Helena Trajano (Magazine Luiza), Guilherme Benchimol (XP) e Eugênio Mattar (Localiza), dentre outros.

Veja também  MRV&CO lança plataforma de conteúdo para discutir o futuro da habitação

“É uma honra estar no ranking das lideranças mais influentes do setor, ainda mais pela atuação em um ano tão desafiador como 2020, marcado pela pandemia. É também uma grande responsabilidade representar um segmento estratégico para o desenvolvimento do país. Vamos continuar com o nosso compromisso de melhorar os serviços com foco em inovação, seguindo a macrotendência de transição energética, que trará novas formas de como geramos e consumimos eletricidade”, afirmou Ricardo Botelho, engenheiro eletrônico com sólida formação executiva, que assumiu a presidência da empresa em 2010.

Hoje, o Grupo Energisa é o maior grupo privado do setor elétrico com capital nacional e também o maior na Amazônia Legal. A companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre.