Motorista que atropelou filho de atriz é liberado após depoimento

Segundo a delegada Bárbara Lomba, inquérito ainda não foi encerrado. Rafael Mascarenhas morreu após ser atropelado no Túnel Acústico.

Do G1

O motorista que confessou ter atropelado Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho caçula da atriz Cissa Guimarães e do músico Raul Mascarenhas, foi liberado no fim da noite desta terça-feira (20) após prestar depoimento na 15ª DP (Gávea).

Segundo a delegada Bárbara Lomba, titular da delegacia, o motorista será indiciado provavelmente por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ela explicou que o inquérito ainda não foi encerrado e que a polícia investiga se o motorista estava em velocidade acima do permitido.

"Em princípio não se recomenda, não se impõe que se peça a prisão cautelar desse motorista", disse Bárbara Lomba.

A delegada disse, ainda, que vai apurar com rigor a conduta dos policiais militares que abordaram o motorista que atropelou Rafael. De acordo com Bárbara Lomba, imagens de câmeras de monitoramento do trânsito mostram uma viatura da PM próxima ao carro que atropelou o estudante, na saída do Túnel Acústico, na Zona Sul do Rio.

De acordo com a polícia, Rafael Mascarenhas andava de skate no Túnel Acústico, quando foi atingido pelo carro. Na ocasião, o túnel estava interditado para o tráfego de carros. Rafael morreu na manhã desta terça no Hospital Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul.

PM abordou motorista que atropelou filho de Cissa

Veja também  Outubro Rosa: Procon identifica variação de preços de exames femininos

De acordo com a delegada Bárbara Lomba, durante o depoimento, o motorista contou que foi abordado por policiais militares, ainda na madrugada, minutos após o atropelamento. O estudante de 25 anos revelou à delegada que os PMs revistaram seus documentos e o orientaram a ir à 15ª DP para registrar o caso.

No entanto, o rapaz alegou que preferiu ligar para o pai, que teria pedido que ele só fosse à delegacia mais tarde, e na companhia de um advogado.

Ainda de acordo com o depoimento do motorista, um amigo seu que estaria a bordo de um outro carro, foi quem avisou o atropelamento à Polícia Militar. O amigo, um estudante de 19 anos, teria avisado à policiais que estavam em uma cabine da PM, no Leblon, na Zona Sul.

Bárbara Lomba explicou que os PMs que abordaram o motorista poderiam tê-lo prendido em flagrante e deveriam ter conduzido o autor até à delegacia, e não liberá-lo como mostram as imagens. A delegada disse, no entanto, que no boletim de ocorrência consta que o motorista fugiu sem prestar socorro.

"As imagens mostram o carro que atropelou o Rafael saindo do Túnel Acústico ao lado de uma viatura da PM. Como pode haver fuga com a PM do lado?", indagou a delegada.