Politizades: entenda as vaquinhas virtuais para financiamento de campanhas eleitorais

Modelo de arrecadação foi aprovado no Brasil durante a reforma eleitoral de 2017.

Os pré-candidatos que vão disputar as eleições deste ano estão autorizados a realizar campanha prévia de financiamento coletivo, modalidade mais conhecida como vaquinha virtual.  O Politizades explica como funciona esse tipo de financiamento eleitoral

Pelas regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não existe limite de valor a ser recebido pela modalidade de financiamento coletivo. Apenas pessoas físicas podem doar. As doações de valores iguais ou maiores do que  R$ 1.064,10 somente podem ser recebidas mediante transferência eletrônica ou cheque cruzado e nominal. Pelas regras eleitorais, a arrecadação será feita por empresas especializadas que foram cadastradas previamente na Justiça Eleitoral.

Esse meio de financiamento de pré-campanhas veio dos Estados Unidos, na campanha para presidente do país em 2008. No mesmo ano,  Barack Obama e John McCain arrecadaram mais de um bilhão de dólares. No Brasil a modalidade de arrecadação de recursos para campanhas eleitorais foi regulamentada pela reforma eleitoral de 2017 e utilizada nas Eleições Gerais de 2018 e nas Municipais de 2020. A reforma também proibiu a doação de empresas para candidatos. Essa é uma ferramenta importante para os candidatos que são de partidos menores, ajudando assim a pré-campanha e posteriormente a campanha eleitoral

No novo vídeo do Politizades, Iasmin Soares dialoga sobre o conceito do financiamento coletivo, a importância do recurso e muito mais.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por TV Cabo Branco (@tvcabobranco)