João Paulo Medeiros

Auditoria constata escolas sem água e sanitários em 13 cidades da Paraíba e Focco cobra retorno

Auditoria foi feita em municípios do Cariri e Sertão do Estado

Foto: Ascom

Em pelo menos 13 cidades da Paraíba, localizadas no Cariri e no Sertão, escolas públicas ainda sofrem com problemas no abastecimento de água e não têm, em alguns casos, nem mesmo sanitários dentro dos prédios. A constatação foi feita por uma auditoria coordenada pelo MPF, em Monteiro.
Uma das escolas é estadual e fica na cidade de Imaculada, no Sertão.
Foto: reprodução

As demais são municipais e ficam nos municípios de Barra de São Miguel, Prata, Santo André, São Sebastião do Umbuzeiro, Taperoá, Zabelê, Ouro Velho, São João do Tigre, Camalaú, Gurjão, Monteiro e Livramento.

Preocupado com a situação, o Fórum Paraibano de Combate à Corrupção (Focco) enviou um ofício ao secretário de Educação do Estado, Cláudio Furtado, pedindo informações sobre a estrutura de escolas no Estado e o retorno às aulas.
A preocupação da entidade é evitar que as dificuldades estruturais atrapalhem a volta das atividades, prevista para setembro (num sistema híbrido) no Estado. A expectativa é de que as aulas voltem de forma gradativa.

Foto: reprodução

Em resposta ao MPF, a Secretaria de Educação do Estado informou que, no caso da escola de Imaculada, o abastecimento de água foi normalizado. Por lá a água chega por meio de carros-pipa.
A cobrança do MPF por respostas e por uma estrutura mínima de funcionamento das escolas é, aliás, por demais legítima e necessária.

Veja também  PF deflagra operação na Paraíba e outros 12 Estados para combater distribuição de ecstasy