Preso é morto por espancamento em presídio da Paraíba

Foto: Leonardo Silva/Arquivo
Foto: Leonardo Silva/Arquivo

Um preso do Presídio de Segurança Máxima, de Campina Grande, foi encontrado morto por agentes penitenciários dentro da cela, na manhã deste sábado (30). Pedro Adriano da Silva, de 37 anos, teria sido espancado até a morte por um outro apenado.

Pedro estava detido desde o dia 16 de setembro, quando foi preso suspeito de ter abusado sexualmente de uma criança de 11 anos no município de Lagoa Seca.

Ele se apresentava como pastor, conforme a polícia.

Pedro Adriano era natural do Rio Grande do Norte. O suspeito de ter praticado o espancamento no interior do presídio, também é do mesmo Estado e teria uma ‘rixa’ antiga com a vítima. Edson Valdevino havia sido preso em Remígio.

Veja também  Homem tenta furtar cartões de vacinação contra a Covid-19 e é preso, em João Pessoa

De acordo com a polícia, Pedro Adriano já teria tentando abusar sexualmente de uma criança na cidade de Pedro Velho, no Rio Grande do Norte. Naquela época Edson Valdevino teria impedido a prática e acabou esfaqueado por Pedro Adriano – iniciando o desentendimento entre os dois.

“O autor do homicídio, que já tinha rixa com ele, espancou o falso pastor até a morte. Ele usou um pedaço de madeira para espancar o homem, deu murros, chutes, pisou várias vezes no tórax da vítima. Ele confessou todo o crime para a Polícia Civil e disse que não estava arrependido. Além do roubo, ele vai responder também por crime qualificado”, disse o delegado Ramirez São Pedro.