Menor de 14 anos é apreendido como segundo suspeito de assassinar universitária

Polícia já havia apreendido outro adolescente, de 17 anos, que também teria participado do crime.

O segundo menor suspeito de participação no assassinato da universitária Meirylane Taís da Silva, de 19 anos, foi apreendido na noite desta sexta-feira (17). Segundo a Polícia Militar, o adolescente de 14 anos teria se entregado e seria o responsável pelo tiro que matou a jovem na noite da última quarta (15) no bairro de Tambiá, em João Pessoa.

Ainda de acordo com a polícia, o menor já havia sido apreendido há três meses por ter roubado a arma de um vigilante da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) na comunidade do Porto do Capim, no Varadouro, na capital.

Conforme a PM, a identificação do menor foi feita após um jovem de 17 anos ter sido apreendido, na tarde desta sexta, suspeito de pilotar a moto usada no latrocínio – roubo seguido de morte.

O adolescente de 17 anos teria confessado a participação no caso e detalhou a ação criminosa, apontando o outro jovem, que ainda não havia sido apreendido, como o autor do disparo que tirou a vida da estudante de Biomedicina.

“O adolescente contou que eles estavam atrás de dinheiro para ir a uma festa, e disse que quando passaram pela jovem, o garupa mandou que ele voltasse para roubar o celular dela e que só escutou o disparo, tendo questionado momentos depois da fuga se ele tinha matado a garota”,  relatou o capitão Isaías Souza, da 3ª Companhia do 1º Batalhão.

O suspeito de 14 anos apreendido está na Central de Polícia Civil.

Relembre o caso

O crime aconteceu na última quarta no bairro de Tambiá, em João Pessoa, nas proximidades da faculdade onde Meirylane Taís da Silva, de 19 anos, estudava. Ela era estudante de uma faculdade localizada na Avenida Monsenhor Walfredo Leal e estava com uma amiga, nas proximidades da instituição, no momento em que foi abordada por dois homens em uma moto.

Ela teria ido a uma padaria fazer um lanche, antes das aulas, quando aconteceu o assalto. De acordo com a PM, a amiga da jovem conseguiu fugir, mas ela, nervosa, demorou a entregar a bolsa e levou um tiro na cabeça.

O pai da jovem, um sargento da PM da cidade de Itabaiana, explicou que Meirylane fazia o curso técnico em radiologia, em Itabaiana, e iria se formar recentemente. Estudava de manhã, estagiava no Hospital Regional Itabaiana de tarde, e à noite cursava Biomedicina na Faculdade Internacional da Paraíba (FPB). "Ela chegava de meia-noite em casa. Não trabalhava, só fazia estudar", disse ele.

Enterro mobilizou Itabaiana

O corpo da universitária foi enterrado no início da noite da última quinta-feira (16) na cidade de Itabaiana, onde ela morava. O enterro ocorreu no Cemitério Boa Morte e contou com presença de centenas de pessoas, entre familiares, amigos e curiosos.