Quatro são presos na PB em operação da PF contra tráfico internacional de drogas

Em uma das ações da investigação, a polícia interceptou 1,6 ton de haxixe em JP.

Foram feitas apreensões de drogas em aeroportos durante as investigações (Foto: Divulgação/PF)

Uma operação da Polícia Federal foi deflagrada nesta quarta-feira (20) para desarticular uma organização criminosa especializada no envio de cocaína para a Europa. A ação acontece em nove estados, incluindo a Paraíba, onde quatro pessoas foram presas, segundo informações do portal G1. No total, 28 pessoas tinham sido presas até o começo da manhã. Segundo a PF, o grupo alvo da operação recrutava mulheres para atuar como ‘mulas’ no transporte da droga

O objetivo da Operação Wanderlust é cumprir 40 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Amazonas e no Distrito Federal. Também são executadas ordens judiciais para apreensão de 40 veículos, (embarcações, caminhões, automóveis e motocicletas) e o sequestro de bens com valor estimado em mais de R$ 10 milhões.

Segundo a PF, as investigações iniciaram em março de 2019 e identificaram que a organização criminosa, a partir de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, e de Curitiba, Paraná, recrutava mulheres em diversos estados do país para atuarem como “mulas” no transporte da droga para a Europa.

O JORNAL DA PARAÍBA entrou em contrato com a Superintendência da Polícia Federal no estado para ter maiores informações sobre a operação em âmbito estadual, mas ainda não recebeu resposta.

No decorrer do inquérito policial foram realizados diversos flagrantes em aeroportos brasileiros e no exterior, com 25 pessoas presas em flagrante, seis delas em Lisboa, capital de Portugal, e quase duas toneladas de drogas apreendidas. Em uma das ações, a Polícia Federal interceptou em João Pessoa uma carga de 1,6 tonelada de haxixe em um veleiro que havia partido do Marrocos, na África, que foi a maior apreensão da droga pela Polícia Federal.

A Operação contou com o apoio da Adidância da Polícia Federal em Portugal e com acordos de Cooperação Policial Internacional com diversos países para levantamento de informações e diligências no exterior.