Deputados defendem na CDL-CG reforma da previdência para acabar privilégios

Debate reuniu deputados Pedro Cunha Lima, Julian Lemos e Efraim Filho.

Deputados federais discutiram projeto de Reforma da Previdência com empresários no auditório da CDL, em Campina Grande (foto: Josusmar Barbosa)

Os deputados federais Pedro Cunha Lima (PSDB), Julian Lemos (PSL) e Efraim Filho (DEM) abriram, nesta sexta-feira (15), a série de debates, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Campina Grande, sobre a Reforma Previdenciária. Os parlamentares defendem o projeto para acabar com os privilégios e evitar que o país “quebre” financeiramente, devido ao aumento das despesas com o pagamento de aposentadorias e pensões. A proposta de reforma foi enviada pelo presidente Jair Bolsonaro e tramita no Congresso Nacional.

Na abertura do evento, os advogados Allan Queiroz e Andrezza Almeida apresentaram um material com o atual sistema previdenciário e quais as dificuldades enfrentadas, bem como o que essa nova proposta resultará para o Brasil se for aceita.

Em seguida, Artur Bolinha, presidente da CDL Campina Grande, ressaltou a importância do apoio dado do sistema a esse tema: “O Brasil ou faz a reforma da previdência ou o Brasil quebra, de forma tão objetiva se o país quebrar, quebra sua população, nossas empresas, quem trabalha e quem vive nele. Não podemos deixar nosso país quebrar para depois pensar em medidas para salvar ele”, alertou Bolinha. disse.

Cheque especial

Na sua participação, o deputado Julian Lemos disse que, economicamente, o Brasil está no ‘cheque especial estourado” e precisa se equilibrar financeiramente. Ele apoia integralmente o projeto de lei enviado por Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional.

“A reforma da previdência é um ponto sensível, mas se faz necessária, é um remédio amargo que tem que ser tomado, porque depois ficará praticamente impossível de se resolver”, destacou Julian.

Grupos vulneráveis

Para o deputado Pedro Cunha, é preciso ter um espírito de união para que que o Brasil consiga sair da crise econômica. “A reforma é necessária, mas da mesma forma que temos que ter responsabilidade em fazer a reforma a gente tem que ter sensibilidade que não pode mexer nos grupos mais vulneráveis”, argumentou o tucano.

Por seu turno, o deputado Efraim Filho enfatizou que é o modelo atual que causa a desigualdade: “O modelo atual que gera tanta desigualdade, que faz com que o trabalhador pequeno, mais humilde pague o privilégio do grande da elite do serviço público”, sublinhou.

Senadores

O debate ainda será realizado em mais duas séries que terão continuidade próxima sexta- feira (22), com o senador Veneziano Vital do Rego (PSB) e no dia 29, com a senadora Daniela Ribeiro do (PP).

Estiveram presentes ao encontro, neste sexta-feira, os representantes da CDL João Pessoa, Nivaldo Lins Vilar, e representantes da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande (ACCG), Sinduscon, Sindicampina, Prefeitura Municipal, FIEP, Sindicato do Comércio Varejista e empresários de vários segmentos.