Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

Cães também gripam

 

A traqueobronquite infecciosa canina, também conhecida como tosse dos canis, é uma doença que acomete vias aéreas superiores dos cães sendo a Bordetella bronchiseptica seu principal agente. Embora seja altamente contagiosa, tende a ser auto limitante, ou seja, pode desaparecer sozinha sem maiores complicações, porém, por ser uma doença multifatorial e que pode ter a influência de mais agentes bacterianos ou virais, é capaz de evoluir rapidamente para uma broncopneumonia fatal ou bronquite crônica em animais debilitados, filhotes, idosos, desnutridos e/ou que estejam passando por período de estresse.

Embora possa ocorrer o ano todo, essa doença tem um caráter sazonal, sendo mais comum no outono e inverno. A transmissão se dá por contato direto entre cães ou indireto, através de secreções nasais e está associada a animais não vacinados que frequentam locais com maior circulação de cães. 

O sintoma mais comum são tosses que podem ser acompanhadas por movimentos mímicos de vômito, sendo facilmente confundido por engasgos pelos tutores. Esses sinais podem se agravar e, diante de uma infecção secundária, outros sintomas como tosse produtiva, secreção nasal e ocular, febre, coriza, falta de apetite e dificuldade respiratória,  podem surgir.

Atualmente, existem alguns tipos de vacina para minimizar a manifestação clínica da doença, não impedindo o surgimento de sintomas respiratórios mas atenuando sua gravidade e impedindo a transmissão do agente infeccioso. 

Converse com seu veterinário de confiança a respeito da vacina e, caso seu cãozinho apresente algum sintoma, não hesite em levá-lo para uma consulta para evitar uma possível evolução da doença.

Veja também  Os filhos felinos de Freddie Mercury