Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

O que é um cão reativo? Entenda a reatividade

Um cão reativo apresenta uma reação exacerbada a estímulos, demonstrando diversas formas, como latido excessivo, salivação, rosnados, uivos e pode até chegar a morder.

cães reativos, o que é
Como identificar um cão reativo

Você está passeando com sua filha na rua e de repente um cão do outro lado da rua começa a latir, pular, fazer um verdadeiro escândalo e aí você logo pensa “nossa, que cachorro bravo”.
O que você não sabe é que ele pode ser um cão muito amoroso, mas reativo a algumas situações. E o que é um cão reativo? É um cão que apresenta uma reação exacerbada a algum ou alguns estímulos; essa reação pode ser demonstrada de diversas formas como latido excessivo, salivação, rosnados, uivos e pode até chegar a morder.

O comportamento de um cão tem influência genética e também é construído a partir de experiências que ele vivencia ao longo da vida e, muitos dos problemas de comportamento se iniciam na fase de socialização, quando o cérebro do filhote ainda está em desenvolvimento e expansão.

O filhote, quando é exposto a estímulos inadequados ou excessivos pode ter medo e, quando esses estímulos continuam, esse sentimento se instaura no cérebro do filhote que passa a reagir ao medo e a ansiedade gerada por esse medo de várias formas – o tipo de reação varia de acordo com o indivíduo e um cão reativo pode se expressar com agressividade mesmo não não sendo um cão agressivo de fato.

Reatividade mostra vulnerabilidade emocional do cão

Essa expressão agressiva de um cão reativo mostra a vulnerabilidade emocional desse cão e, quando se trabalha essa reatividade com punições ou expondo esse cão a situações onde essa reatividade é engatilhada, ele leva esse cão ao seu limite, suprimindo toda a autoconfiança do cão.  Nesse momento, para o cão, inicia uma “luta” pela própria vida, ele precisa reagir pra sobreviver e faz isso assombrando quem ele acha ser um perigo iminente à sua volta: outros cães, crianças, carros, motos, bicicletas e outros elementos que ele vê ou escuta.

Veja também  Partiu praia!!!!

Essa reatividade pode acontecer em outras situações também, envolvendo posse de recursos (comida, brinquedo, por exemplo), numa visita ao veterinário, quando vem uma visita em casa, quando chega um novo membro na família e, em todas esses cenários, a razão por detrás da reação extremada é sempre o mesmo: o medo e a necessidade de “lutar” pra sobreviver. “Eu preciso me defender, eu preciso defender minha comida, eu preciso proteger a minha casa e o meu espaço”.

No caso de um cão agressivo, ele não precisa de gatilhos. Ele poderá atacar sem motivo algum e isso é muito mais difícil de acontecer. A maioria dos cães que apresentam agressividade não são cães verdadeiramente agressivos; são cães que foram expostos a situações de estresse ou tiveram algum trauma ou foram reforçados por seus tutores, mesmo que sem intenção.

Para trabalhar essa reatividade é preciso não tentar corrigi-lo com punições, garantir que o limite e o espaço do seu cão seja respeitado, e iniciar seu treinamento, de forma positiva para melhorar a sua comunicação com seu cãozinho e evitar que ele entre em um estado de desequilíbrio (cães no momento do estresse poderão não responder de forma assertiva).

O cão precisa entender que está seguro e que não precisa reagir com descontrole aos estímulos quando estes aparecerem.