Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

Cão reativo: como não piorar a reatividade

A reatividade é uma reação exacerbada a um determinado estímulo. Muito confundida com a agressividade, a reatividade pode estar relacionada com vários motivos, entre eles o medo, posse de recursos e instinto de proteção.

Um cão reativo não é, necessariamente, um cão agressivo; é um cão que não reage bem a determinadas situações.

Pessoas estranhas, crianças, objetos como boné ou bicicleta, outros cães são alguns fatores que provocam reatividade em cães.

Um dos motivos que leva o cão à reatividade é a falta de socialização ou uma socialização feita de forma inadequada.

Na nossa escola recebemos muitos tutores queixando-se de que o cão passou a “fazer um escândalo” para outros cães depois de uma interação ruim na pracinha ou depois depois de ter se deparado com um grupo de crianças correndo e gritando, e vários outros relatos de cães que mudaram seu comportamento depois de algum acontecimento.

Mas nem todos os tutores conseguem identificar o que levou o seu cão à determinada reação, apenas acreditam que de uma hora pra outra ele “mudou”.

Identificar os sinais de desconforto ou os gatilhos que levam o cão à reações extremas não é fácil mas seguem algumas dicas do que você NÃO DEVE fazer caso tenha um cão reativo.

. Forçar uma situação

O cão precisa sentir que o tutor é seu porto seguro e que, perto do tutor, ele não precisa se defender – cães reagem de forma instintiva e sentem que precisam lutar pela própria vida diante do que eles acreditam ser um perigo ou uma ameaça à sua sobrevivência.

Por exemplo, se seu cão é reativo a crianças, evite colocá-lo no meio delas sem que ele tenha a opção de não estar ali, “pra ele se acostumar”. Ele não vai se acostumar de maneira forçada e isso só vai piorar sua a reatividade.

. Dar trancos na guia (unificada ou enforcador)

Essa maneira antiquada de corrigir os cães não vai fazer seu cãozinho aprender que ele não pode reagir a um estímulo incômodo a ele.

Veja também  Como manter a decoração de Natal em casas com cães e gatos?

Método ultrapassado de adestramento, os puxões na guia ainda são utilizados pra correção no momento em que o cão faz algo de errado, porém, essa correção além de não ensinar o comportamento correto que o cão deve ter, ela não é assertiva pois, o cão começa a dar indícios de que vai reagir à uma situação um pouco antes da reação em si – musculatura enrijecida, olhos vidrados, boca fechada e tensa são alguns dos sinais emitidos pelo cão e que muitas vezes não são percebidos pelos tutores.

.Demonstrar nervosismo

Sabemos que é difícil, mas transmitimos toda a nossa tensão pros nossos cães. Quando ficamos nervosos durante o passeio, automaticamente tensionamos a guia, enrolamos na mão, puxamos o cão pra perto e, em alguns momentos, antecipamos algo antes mesmo do próprio cachorro se dar conta do que está acontecendo.

Tente se manter calmo, para passar tranquilidade para seu cãozinho.

. Brigar com o cão

No momento em que o cão reage a uma situação, ele entra num estado de desequilíbrio e pode deixar de ser responsivo. Não vai adiantar brigar ou gritar com ele – isso vai tornar a situação mais complicada. Tente sair da situação, mudar a rota do passeio e tirar o foco do seu cão.

. Tentar resolver o problema sozinho 

Se você não sabe como lidar com o problema do seu cãozinho ou se a reatividade vem aumentando, procure ajuda.

Não deixe a situação ficar insustentável a ponto de prejudicar sua rotina em casa ou os passeios; procure um profissional em comportamento canino para te orientar e auxiliar na condução do seu cão.

Um cão reativo pode ser desafiador, exigir tempo, dedicação e muita paciência, mas não é o fim do mundo.

Entender a reatividade e estar atento a linguagem do seu cãozinho é muito importante para evitar situações desagradáveis.