Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

Cães soltos: como se defender de um ataque

Depois de um breve recesso, retornamos com um tema que ouvimos muito nas últimas semanas: “o que fazer para evitar o ataque de um cão?”

Cães podem atacar por vários motivos: dor, medo, instinto de proteção, agressividade e por se sentirem ameaçados.

Ataque “do nada” não existe – nós é que temos dificuldade no entendimento da comunicação canina, o que nos deixa vulneráveis em algumas situações.

Um cão solto na rua, que fugiu assustado por fogos, por exemplo, pode ser capaz de morder alguém, mesmo que não seja agressivo; da mesma forma, um cão agressivo poderá morder alguém devido a alguma característica física ou por estranhar algum acessório como bolsa, boné e até mesmo um tom de voz.

Nesse caso, o que devemos fazer?

Tentar manter a calma é o primordial!

1. Por mais difícil que seja, fique parado! Correr poderá despertar ainda mais o cão, devido a0 seu instinto de caça.

Se você tiver próximo de um lugar alto que consiga escalar com segurança, essa pode ser a melhor opção, caso contrário, não se mexa.

Veja também  5 curiosidades sobre as cacatuas que você talvez não saiba

2. Evite contato visual com o cão para que ele não se sinta ameaçado nem intimidado – isso pode deixá-lo menos desconfortável, podendo desviar a atenção dele.

3. Você pode tentar pedir socorro, mas sem fazer movimentos bruscos, movimentar os braços e nem gritar para tentar afastar o cão, pois movimentos e gritos podem levar o cão a um nível maior de agressividade.

4. Se o cão começar a desfocar ou desviar o caminho, você pode tentar se afastar; mas não tenha pressa, recue de maneira lenta e sem dar as costas para o cão.

 Se o ataque for inevitável, o objetivo será minimizar os danos.

1. Não tente lutar, o melhor a fazer é esperar que o cão se canse.

2. Proteja suas partes vitais – cabeça, barriga e pescoço.

3. Se possível, se agache, abraçando as pernas e coloque a cabeça entre os joelhos, protegendo-a com seus braços e espere que o cão se acalme.