Campina Grande passa a integrar rede de cidades criativas da Unesco

Rainha da Borborema se une à lista com Recife e outras 47 cidades no mundo que passam a integrar a rede da Unesco.

Foto: Cacio Murilo/MTur

Campina Grande foi integrada pela Unesco à rede de “cidades criativas”, nesta segunda-feira (8), na categoria de artes midiáticas (“Media Arts”), que engloba arte digital, sonora, realidade virtual e aumentada, arte web, videojogos, robótica, fotografia digital e cinema. A lista de novas cidades da rede também inclui Recife, na categoria música, além de outras 47 cidades espalhadas pelo mundo.

Campina Grande é a segunda cidade paraibana a receber o título de cidade criativa da rede da Unesco. Em 2017, João Pessoa recebeu o título como cidade criativa na categoria de artesanato e arte popular. No Brasil, outras nove cidades também fazem parte da rede de criatividade da Unesco, sendo elas: Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ) em gastronomia; Brasília (DF), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE) em design; Salvador (BA) na música; e Santos (SP) no cinema.

A Rainha da Borborema junta-se à rede na linha de frente dos esforços da Unesco e esse título tem por objetivo favorecer a cooperação entre cidades que consideram a criatividade como um fator estratégico para o desenvolvimento sustentável em seus aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais. “Todos trabalhem com os Estados para reforçar a cooperação internacional entre cidades que a Unesco deseja promover”, reforça nota da entidade.

O pedido de reconhecimento foi elaborado pela Prefeitura de Campina Grande, na qual o prefeito Bruno Cunha Lima se comprometeu a apoiar as atividades do segmento da mídia local, atuando na atração e manutenção na cidade de capital humano e financeiro de qualidade através de novos investimentos junto às empresas, produtos e serviços.

Veja também  UFCG vai conduzir estudos sobre segurança cibernética na rede 5G

O processo de candidatura de Campina Grande ao título de cidade criativa teve a parceria de entidades educacionais e da indústria, com o Sebrae, Fundação Parque Tecnológico, FIEP, Unifacisa, Associação Comercial, CDL, Fecomércio, UEPB e UFCG.

O que são as Redes de Cidades Criativas?

Com atuação desde 2004, a Unesco promove cidades a título de “cidades criativas” para promover a cooperação entre as cidades que reconhecem a criatividade como um fator fundamental no desenvolvimento urbano nos segmentos ambientais, culturais, econômicos e sociais.

O Brasil agora conta com 12 cidades criativas, incluindo Campina Grande e Recife a essa lista que conta com 295 cidades em 90 países que atuam em cooperação para aprimorar as estratégias de desenvolvimento da indústria criativa e cultural.

As redes criativas são divididas em sete pilares macro, que são especificados entre design, gastronomia, cinema, literatura, artes midiáticas, música e artesanato e artes folclóricas.

As cidades que se comprometem a integrar a rede de criatividade, ficam responsáveis por promover o desenvolvimento de práticas inovadoras, o fortalecimento da participação cultural e a promoção de políticas que incentivem a cultura e o desenvolvimento urbano e sustentável.