Dedicação aos estudos é fundamental

Conforme o edital, assuntos relacionados aos produtos específicos oferecidos pelo banco também podem ser alvos das questões.

O concurso público para a Caixa Econômica Federal (CEF) também é uma oportunidade para quem está iniciando a jornada de concurseiro. Apesar das vagas para o cargo de técnico bancário serem para formação de cadastro de reserva, o banco tem um histórico de contratações e aproveita até mesmo candidatos que foram aprovados, mas não classificados dentro do número de vagas estabelecidas.

O conselho do analista de concursos públicos, Rodrigo Andrade (foto), é que os candidatos de “primeira viagem” organizem bem os horários e intensifiquem os estudos, mesmo com o pouco tempo para a prova. “O concurso da Caixa é a porta de entrada para quem quer seguir carreira bancária. Dependendo do seu desempenho, em até 2 anos você já pode conseguir um cargo de gerência. É importante que o candidato organize o tempo para estudar todo o assunto com videoaulas, aulões, exercícios e também um cursinho”, sugere.

Ainda segundo Rodrigo Andrade, além das disciplinas comuns aos demais concursos, como português, informática, raciocínio lógico e legislação, os interessados em participar do certame devem ficar atentos aos conteúdos relacionados ao conhecimento bancário. Conforme o edital, assuntos relacionados aos produtos específicos oferecidos pelo banco também podem ser alvos das questões.

Veja também  Candidatos do CFO da PM devem entregar exames nesta terça e quarta

“É importante que o candidato esteja atualizado com o mercado financeiro. Isso ele pode saber vendo os noticiários nos telejornais, sobre bolsas de valores, mercados de investimentos.

Mas, a novidade desse concurso é que produtos como PIS, abono salarial, crédito rural, programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ e funcionamento de casas lotéricas, também estão na parte de conhecimento bancário”, lembra o analista.

O estudante Leopoldo Lucena será um dos candidatos na disputa por uma das 374 vagas oferecidas pelo banco na Paraíba. Para conseguir dar conta de estudar todos os assuntos e chegar afiado para a prova, ele terá de dividir o tempo entre as aulas da faculdade e as revisões dos conteúdos que serão cobrados no concurso.

“Eu tenho uma apostila e videoaulas. Vou dedicar pelo menos quatro dias na semana para estudar para esse concurso”, garantiu o universitário, revelando ainda que a experiência de dois anos atuando como bancário poderá ajudar na resolução das questões específicas. “Já fiz outros concursos para banco e tinham questões que resolvi só pela experiência do trabalho. Então, acredito que o fato de ter trabalhado em banco e gostado da área me interessou em fazer esse concurso”, completa.