Espetáculo Casa do Julgamento chega aos últimos dias de apresentação

Com 15 apresentações por dia, edição 2018 se encerra neste sábado.

Cenas do espetáculo 2017 da Casa do Julgamento que teve o tema “Suicídio”: há razões para viver
Cenas do espetáculo 2017 da Casa do Julgamento que teve o tema “Suicídio”: há razões para viver

O espetáculo Casa do Julgamento entra nos seus últimos dias de exibição no Centro de Convenções Cidade Viva, em João Pessoa. Este ano, o espetáculo aborda a temática sobre ‘Abuso’. As apresentações da edição de 2018 vão até sábado (14), com média de 15 sessões diárias a partir das 19h. O espetáculo tem sensibilizado centenas de pessoas diariamente com um enfoque diferenciado sobre a problemática do abuso, cada vez mais presente na sociedade. O espetáculo também promove uma campanha de conscientização com divulgação do número 100 do Disque Denúncia.

>> Confira os horários da Casa do Julgamento

A autoria texto da peça teatral interativa sobre o tema “abuso” sexual contra crianças é do diretor teatral Aldo Galdino, do pastor e líder de jovens da Cidade Viva, Thiago Dutra, da cineasta Lúcia Magalhaes e de uma comissão de psicólogas. “A escolha do tema da Casa do Julgamento 2018 sobre ‘Abuso’, além de ser muito presente na sociedade atual, é também decorrente de depoimentos de pessoas que assistiram a Casa do Julgamento na edição do ano passado, quando tratou da temática do ‘Suicídio’. Algumas pessoas que assistiram a Casa do Julgamento revelaram que muitas tentativas de suicídio e de atos de suicídio foram de pessoas que haviam sofrido também abuso, daí a importância de expor a problemática de forma mais reflexiva, ampla e com a participação do público durante o espetáculo deste ano para a sociedade paraibana”, declarou o diretor Aldo Galdino.

Veja também  Zé do Caixão vai ganhar remake nos EUA por produtora de Elijah Wood

Trazer luz sobre a temática

“O Abuso causa transtornos gigantescos à família. Mais do que ser um espetáculo, temos o objetivo de mudar essa situação trazendo luz por meio da arte”, declara o diretor da Cia Abner e do Espetáculo da Casa do Julgamento, Aldo Galdino, acrescentando que “a luz da orientação bíblica, o projeto visa apresentar que cada pessoa pode ultrapassar sua dor e viver bem. Diante de uma história impactante e realista, a plateia é desafiada a tomar decisões a cada momento com a intrigante pergunta: Como você agiria hoje se soubesse qual o seu destino após a morte?”, finaliza Aldo.

Durante o espetáculo, o público é acompanhado por um “Guia”, uma espécie de narrador que introduz e arremata a história antes e depois de cada uma das sete cenas. Em cada recinto, por causa da proximidade com a cena e a possibilidade de interatividade, o público sente e vive intensamente o dilema de cada personagem com cenas que emocionam e, ao mesmo tempo, sensibilizam as pessoas, como forma de propiciar uma reflexão mais ampla sobre a temática do abuso e as principais decisões da vida.