Nem a morte vai redimir Olavo de Carvalho, o guru do governo Bolsonaro

Olavo de Carvalho (Foto/Reprodução YouTube) morreu na noite desta segunda-feira (24) na Virginia, Estados Unidos. Há pouco mais de uma semana, ele havia sido diagnosticado com Covid-19, mas a causa da morte ainda não foi oficialmente anunciada.

Escritor, astrólogo, influenciador digital, autointitulado filósofo, Olavo de Carvalho, de 74 anos, se popularizou muito nos últimos anos ao assumir o papel de guru do governo Bolsonaro. Botou gente importante no governo. Tirou gente importante do governo. Era reconhecido como guru pelo presidente e seus filhos.

Uma das suas marcas, muito mais do que a erudição que dizia ter, era o palavreado de baixíssimo calão que usava quando queria agredir uma pessoa. Certa vez, disse horrores de Caetano Veloso, e o artista demandou judicialmente contra ele, vencendo a ação.

Veja também  Somente três cidades brasileiras – por enquanto – verão show de despedida de Milton Nascimento

Olavo de Carvalho desdenhou da Covid-19. Era negacionista. Na essência, era um homem mau, disposto sempre a fazer o mal – é o que vamos encontrar nas suas falas, no seu discurso de ultradireita.

Olavo de Carvalho morrer depois de um diagnóstico de Covid-19 não deixa de ter um caráter educativo. Nem a morte vai redimi-lo.