Diversificar aplicações requer mais riscos

Retorno mais expressivo precisa correr mais riscos.

O analista da Futura Invest, Eduardo Malheiros, afirma que, para ter um retorno anual mais expressivo, invariavelmente, os investidores terão de se expor um pouco mais aos riscos, chamado pelo mercado de volatilidade. Como opção à poupança, é comum que o pequeno e médio investidor tenha aplicações em outros setores. O analista Rodrigo Guedes acredita que os Fundos Imobiliários vêm sendo um dos melhores investimentos atuais nesses casos. “Eles somam o crescimento do investimento imobiliário mais os rendimentos mensais e são isentos de Imposto de Renda”, afirma.

As outras opções são os Crédito Depósito Bancário, Títulos Públicos – que, segundo Rodrigo, têm a garantia do próprio Governo Federal e possuem histórico de rentabilidade bem superior à poupança. “É importante ficar de olho no retorno destes investimentos, pois eles são afetados pela queda na taxa de juros e estas tem perspectiva de cair ainda mais até o final do ano. Uma opção mais interessante para os investidores é a indústria de Fundos de Investimentos, em especial os Fundo Multimercados”, acrescenta Eduardo Malheiros.

Veja também  Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 100 milhões

Já Cláudio Rocha relembra que não convém ficar trocando de investimento, pulando de uma aplicação para outra. “Em algumas delas, no momento da transferência é cobrado imposto de renda”, diz. O importante, para o consultor, é estar sempre atualizado com as informações do mercado financeiro.

“Também é importante que a pessoa não invista naquilo que ela não conhece, principalmente em aplicações de renda variável (Bolsa de Valores), pois a falta de conhecimento dessa modalidade de investimento pode transformar-se num prejuízo”, assegura.