Reserva na internet tem riscos

Consumidores devem ficar atentos para as armadilhas como publicidade enganosa e falsos descontos na hora de comprar pacote de viagens.

Os foliões que preferem fazer suas reservas de Carnaval pela internet devem estar atentos às orientações do Procon-PB e do Instituto Brasileiro de Defesa de Consumidor (Idec). A precaução neste momento é importante para evitar “armadilhas” como a publicidade enganosa e o falso desconto.

De acordo com o advogado do Idec, Flávio Siqueira, uma armadilha muito comum em sites de venda de pacote de viagens, principalmente nos de compra coletiva, é a “maquiação” de desconto. “Isso ocorre quando a oferta diz que há um grande desconto, mas que o preço, na realidade, não tem redução alguma. Por exemplo, dizer que a diária de um hotel está com desconto de 80% custando R$100 quando na verdade esse já era o preço normal da diária daquele hotel”, explicou o advogado.

Flávio Siqueira afirmou que o consumidor ainda precisa se atentar para a  data da viagem. Segundo ele, muitas vezes o voucher adquirido em site de compras coletivas tem uma data que o comprador pode utilizar para sua viagem.

"Pode ser que essa data seja muito procurada e não haja vagas nos hotéis disponíveis. É preciso ficar atento e, se possível, antecipar a reserva ligando diretamente no hotel que vai ficar hospedado”.

A coordenadora de projetos do Procon-PB, Meriene Soares, explicou que o primeiro passo antes de fazer reservas na internet é checar se a empresa está registrada no Ministério do Turismo. O Idec alerta o consumidor a usar apenas endereços eletrônicos confiáveis.

Segundo Meriene Soares, vale ainda solicitar o encaminhamento, para o e-mail do consumidor, de todos os passos de confirmação na hora que for feita a contratação do pacote online. “O internauta ainda deve garantir que seja dito de forma expressa quais os dias não possíveis de reserva para evitar desconforto no momento de seu lazer”, frisou Meriene.

Veja também  Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 100 milhões

O Procon-PB ainda orienta o consumidor a guardar cópia impressa de toda a programação estabelecida no pacote comprado, incluindo todos os  serviços oferecidos como passeios e taxas extras.

No caso de pacotes de passagens aéreas feitas pela internet, o consumidor deve se informar dos preços reais com os agentes de viagens porque alguns sites omitem valores de tarifas que são cobrados. Meriene Soares alertou ainda que no que diz respeito às hospedagens, o internauta deve imprimir e salvar a página do site contendo os valores e vantagens oferecidas. “Os comprovantes de transferência e pagamento realizados também devem ser guardados”, frisou Meriene.

O advogado do Idec, Flávio Siqueira Júnior, explicou que para se certificar se o site é confiável é muito importante fazer uma pesquisa nas reclamações registradas no Procon e reclamações dos próprios consumidores na internet. Dicas de amigos que encontraram boas empresas na internet também são válidas.

“Também é preciso ter sangue frio e não fazer a compra por impulso, principalmente quando aparecem as promoções “relâmpago”, levando o consumidor a crer que irá perder aquela chance se não comprar naquele momento. É importante notar que as promoções sempre voltam, não será uma oportunidade perdida”, frisou Flávio Siqueira.

O advogado do Idec ainda lembrou que um aspecto muito importante é conferir todas as informações do pacote, como data disponível, se o transporte está incluído, qual o hotel e tipo de quarto e quais são os passeios que fazem parte do pacote.

“Assim, ao fechar o negócio é recomendável que a pessoa encontre uma forma de registrar a oferta contratada. Uma das maneiras de fazer este registro é salvar a tela com a tecla “Print Screen” ou mesmo imprimindo a página com a oferta”.