Economizando desde cedo: 5 dicas de educação financeira para crianças

Consultores acreditam que, além da crise, a falta de conhecimento sobre cuidados com as finanças estimulam o endividamento. Esse é o assunto do programa Paraíba Comunidade das Tvs Cabo Branco e Paraíba deste domingo (16).

As filhas de Aline aprenderam, desde cedo, a cuidar das finanças. Foto: Reprodução/ Tv Cabo Branco

O cuidado com as finanças pessoais tem se tornado uma prioridade constante para os brasileiros. Nos últimos tempos a educação financeira, modalidade que define orientações para um uso saudável do dinheiro, tem ganhado destaque. Essa procura por uma relação melhor com a vida econômica cresce em paralelo com a situação de crise do país. 

Conforme os dados da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo, o endividamento de consumidores brasileiros disparou e atingiu o nível recorde de 72% em meados de 2021. Já segundo o Serasa, a marca de pessoas endividadas no Brasil ultrapassou os 60 milhões.

Esse crescimento assusta especialistas, que acreditam que, além da crise instalada no Brasil, o processo de endividamento tem a ver com a falta de educação financeira na infância e adolescência. Uma dessas profissionais é Aline Alencar, que trabalha como consultora financeira e também orienta pais a ensinarem as crianças a como lidar com as finanças desde cedo. 

Esse é o assunto do programa Paraíba Comunidade das Tvs Cabo Branco e Paraíba deste domingo (16).

A relação de Aline com a educação financeira começou cedo também. Na adolescência ela teve contato com um livro que detalha comportamentos problemáticos que podem levar ao endividamento. Foi através da leitura que ela identificou abordagens que a família dela poderia mudar para ter uma rotina financeira mais saudável. 

Guardou esse interesse consigo e após 15 anos trabalhando como servidora pública decidiu se tornar consultora financeira, mudança que aconteceu já na pandemia, no início de 2021. 

Aline Alencar decidiu se tornar consultora financeira por amor a matemática. Foto: Arquivo pessoal

Aline Alencar tem duas filhas, uma de 8 e outra de 2 anos. Desde já orienta as meninas a cuidarem com sabedoria de cada centavo que chega. 

“Na minha percepção, não adianta trazer o tema mesada muito cedo para a criança, pois outros pontos precisam ser levados em consideração, como a criança saber quem ela é e saber que é amada pela sua família, ter capacidade de organizar seus brinquedos e também ter noções de planejamento, de rotina. Trabalhamos muito isso e somente quando ela tinha 7 anos começamos a dar mesada. Ela recebe um valor de 10 reais por semana”, explicou Aline. 

Depois de implementar a mesada, a filha de Aline se interessou cada vez mais por matemática, tudo para saber quanto ganhava e quanto podia gastar e guardar. Atenta, ela evita gastar do próprio dinheiro e pede até para mãe usar o cartão de crédito. E é assim que, aos poucos, Aline ensina sobre educação financeira. 

“Ela tem a própria carteira dela que ganhou da tia, ela mesma pergunta preço, compra, recebe o troco e quando chega em casa anota o que gastou. Dos 10 semanais, ela tira 1 para o dízimo e 1 para o futuro. O futuro é algo pra ela mesma, alguma coisa que ela queira comprar e de um prazo maior para ela (por exemplo, um prazo de 1 ano)”, relata a consultora.

Veja também  Saque extra do FGTS começa para nascidos em junho

As filhas de Aline aprenderam, desde cedo, a cuidar das finanças. Foto: Reprodução/ Tv Cabo Branco

Veja dicas de educação financeira para crianças:

1 Estabeleça rotinas, ainda que não seja seguida à risca

A criança precisa entender que esses cuidados são frequentes, que fazem parte de um padrão. Achar que a atenção é pontual pode prejudicar o desenvolvimento de um hábito saudável.

2 Faça com que a criança entenda a importância da organização

Seja dos brinquedos, livros, quarto, pois se ela não organiza o que vê, imagina o que geralmente não se vê fisicamente como o dinheiro.

3 Deixe a criança planejar algumas coisas sozinha

A festinha dela (fazer a lista de convidados ou dos itens da sacolinha) para que ela aprenda sobre planejamento e não seja introduzida a isso somente quando for adulta.

4 Não diminua os sonhos das crianças

Se ela diz que quer ir à Disney ou que quer morar à beira mar, não diga que isso é difícil demais. Apenas informe a ela que ela vai precisar trabalhar, ganhar dinheiro e se organizar para realizar esses sonhos.

5 Estabeleça uma mesada

Deixe ela controlar quanto tem, deixa ela gastar e cometer erros. Se ela gastar tudo ela vai aprender que, talvez, na hora que precisar muito do dinheiro não vai ter.