Apito pedhuá será vendido em maio

Produto vai ser fabricado em São Paulo; Ainda não há uma data definida para o lançamento oficial do pedhuá, que é de origem indígena.

O apito paraibano pedhuá, chancelado pelo Ministério dos Esportes para ser o som da Copa do Mundo de 2014, já será comercializado a partir do mês de maio. O produto vai ser fabricado em São Paulo, seguindo recomendação do ministro Aldo Rebelo e o material utilizado na sua confecção tem origem na cana-de-açúcar, sendo uma matéria-prima ecologicamente correta.

Ainda não há uma data definida para o lançamento oficial do pedhuá, que é um instrumento de origem indígena, usado para imitar o som dos pássaros. O produto é um dos 96 projetos selecionados na chamada pública do Plano de Promoção do Brasil para a Copa do Mundo da Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa) de 2014. Em torno de 50 milhões de unidades devem ser fabricadas até o maior evento do futebol mundial.

O preço ainda não está definido, mas o diretor executivo da Pedhuá Brasil, Faustino Júnior, acredita que o pedhuá possa ser comercializado ao preço de R$ 10,00. “Estamos na fase de negociação com várias empresas e a expectativa é trazer música para a torcida já na Copa das Confederações, com bastante alegria e reforçando a cultura do Brasil”, disse Alcedo Medeiros, criador do pedhuá.

Apito Arremedo
O nome pedhuá, em tupi-guarani, significa “apito de arremedo”, ou seja, “apito de imitação”, por assemelhar-se com o canto de pássaros. O instrumento que era utilizado pelos indígenas para atrair os animais, também representa a musicalidade brasileira por ter sido o precursor do apito do samba.

Segundo Alcedo Medeiros, o novo modelo de som para a Copa Fifa irá promover alegria, música, ritmo e não barulho como as vuvuzelas sul-africanas. O pedhuá é um apito artesanal, de madeira tupi-guarani, que serve para atrair pássaros, mas que na versão para a Copa será de resina plástica, ergonômico e produzido em escala mundial.

Ele tem ritmo e com o apito é possível fazer uma melodia bem típica do Brasil tropical. Para evitar transtornos, o produto será feito em tamanho pequeno e com som suave.

Se o usuário soprar com força, o apito trava e o som não é emitido. A intenção é levar o samba, ritmo tipicamente brasileiro, para os estádios de futebol sem precisar ter instrumentos maiores.