Camila Esposte
Láuriston Pinheiro

Empresários recriam associação para estruturar e padronizar a orla de João Pessoa

Com cerca de 100 estabelecimentos associados, Ameomar deve gerar 1,2 mil empregos diretos, 2 mil indiretos e movimentação financeira de R$ 5,5 milhões mensais.

Associação dos Microempresários da Orla Marítima de João Pessoa quer melhorar a experiência do turista, qualificar mão-de-obra e movimentar os negócios de pequenos e microempresários do setor. Foto: divulgação.
João Pessoa é o terceiro destino mais procurado para o turismo, conta com uma das orlas mais bonitas do Brasil e tem ganhado visibilidade pelo mundo.
A capital da Paraíba, que tem em suas belezas naturais por si só um atrativo extraordinário, vai ganhar mais melhorias para fomentar e aquecer o turismo, a economia e a cultura locais.
No próximo dia 4 de novembro, às 9h30, no Hotel Laguna, em Tambaú, toma posse a nova diretoria da Ameomar — Associação dos Microempresários da Orla Marítima de João Pessoa, que tem o propósito de promover uma bela experiência ao turista, qualificar a mão-de-obra que atua no setor e movimentar os negócios de pequenos e microempresários.
O grupo conta 58 estabelecimentos e 45 quiosques de coco e tem projetos de padronização e revitalização para deixar a orla de João Pessoa ainda mais atrativa e organizada.
“Queremos, em primeiro lugar, firmar parcerias com o município de João Pessoa e então captar parceiros estratégicos para reestruturar todos os quiosques da orla, não só em relação à parte física, mas também na questão do atendimento ao cliente, com padronização e comodidade ao turista”, destaca o futuro presidente da Ameomar, João Victor Chaves Ramalho Brunet.
Excelência ao turista
Conquistar e fidelizar o turista em um destino é desafiador. Para João,  ao receber um serviço de excelência, o turista é automaticamente impactado com a qualidade dos serviços e com experiências exclusivas.
Para isso, uma das propostas da Ameomar é capacitar os trabalhadores envolvidos nesta recepção ao qualificar os funcionários de cada estabelecimentos em relação à educação, cordialidade, imagem e até com a fluência em um segundo idioma.
Segundo ele, com a Ameomar, serão 1.200 empregos diretos, 2 mil indiretos e R$ 5,5 milhões de movimentação financeira mensal, que pode dobrar na alta temporada.
“Isso significa cerca de R$ 100 milhões de movimentação financeira anual. A orla pessoense é um ‘diamante bruto’, pronto para ser lapidado”, acredita.
João conta que é preciso organizar a infraestrutura e readequar os quiosques, já que a licença adquirida pela Prefeitura é antiga, de 1992, e a realidade do fluxo de turistas mudou muito desde então.
“Também precisamos trabalhar a questão sustentável com coleta seletiva e oferecer uma contrapartida. Esta parceria público-privada, que vai tirar um pouco do peso e responsabilidade de zelar pela orla, da administração municipal”, explica.
Nova orla
Nos últimos anos, João Pessoa tem demonstrando cada vez mais potencial para investimentos à beira mar e pé na areia.
A cidade faz sol o ano inteiro e tem a capacidade de proporcionar programações e promoções para que o turista e o pessoense possam aproveitar as praias urbanas da melhor forma.
A Ameomar busca valorizar os artistas locais e ter mais autonomia para promover eventos culturais, esportivos e sociais, bem como a padronização de ambulantes na região.
Para isso, será fundamental uma parceria com sindicatos e associações. “Firmar uma parceria com o Sebrae, por exemplo, é importantíssimo, assim como com os sindicatos dos garçons, cozinheiros e classes de todos os níveis da organização dos estabelecimentos.
Outras parcerias que buscamos são com a Abrasel, Ambev, Coca-Cola, Grupo Itaipava e outros grandes fornecedores. Temos uma força comercial muito grande”, ressalta.
Para conhecer a Ameomar, o site é www.ameomar.com.br e o perfil no Instagram: @associacaoameomar .

Veja também  Cinco tendências de negócios para empreender em 2022