Estudante de escola pública é aprovada em bolsa e premiada em Harvard: ‘mundo novo’

Eloá saiu de Barra de Santa Rosa e passou 10 dias em Boston, no evento organizado por Harvad.

“Vivendo a vida normal”. É assim que Eloá Souto descreve o momento em que navegava no Instagram e viu uma vaga que fez brilhar os olhos dela: uma bolsa de monitoria para uma experiência no exterior. A oportunidade fez a paraibana, de 16 anos, chegar em Boston, onde ganhou uma premiação durante evento da Organização das Nações Unidas (ONU), na universidade de Harvard.

A jovem nasceu e mora em Barra de Santa Rosa, no Curimataú da Paraíba. Ela estuda em uma escola pública, o Instituto Federal da Paraíba (IFPB), na cidade de Picuí, onde cursa a 3ª série do ensino médio. Eloá confessou que a origem fez até com que ela duvidasse que teria uma chance assim, mas viu que foram essas raízes que deram força conquistar o que sonhou.

“Eu achava, na época, que não ia conseguir conquistar a bolsa. Sair do interior pra ter contato com esse tipo de coisa”, revelou.

Entre mais de mil inscrições, Eloá foi a escolhida para a bolsa do Instituto Diplomun.

Com isso, ela ganhou um ano de monitoria, que a preparou para o Harvard Model United Nations, evento que aconteceu em janeiro deste ano, na Universidade Harvard, nos estados Unidos.

Além da mentoria, a bolsa também custeou toda a viagem: visto, passagem, hospedagem, alimentação, seguro e plano de celular. Depois de um ano de treinamento pela internet, foram 10 dias em Boston.

A seleção para a conferência em Harvard

Na disputa por uma vaga, Eloá já tinha a vantagem de ser fluente em inglês, algo que começou a aprender sozinha, assistindo a séries na televisão. Além disso, durante o processo de seleção, ela precisou escrever várias redações com temas sobre questões sociais (veja um dos textos no fim desta reportagem).

A adolescente também precisou recorrer a todas as atividades extracurriculares desenvolvidas ao longo da vida. Uma delas, inclusive, é um projeto que ajuda pessoas com com transtornos neurológicos. Essa é uma forma de entender como o candidato interage com a sociedade.

Por último, mas não menos desafiadora, aconteceu a entrevista. Nela, em pouco tempo, a estudante precisou responder a questões complexas.

Eloá no Harvard Model United Nations
Foto: Arquivo pessoal.

Simulação da ONU em Havard

A Harvard Model United Nations é uma simulação da Organização das Nações Unidas (ONU) que acontece uma vez por ano e é dirigida pela Universidade Harvard. O evento acontece em Boston e reúne jovens com perfil de liderança de todo o mundo para a discussão de problemas globais em mais de 30 comitês.

Com a preparação da monitoria, Eloá acredita que aumentou o nível de debate, oratória e negociação. Isso a levou a ser premiada no evento.

Na conferência, ela discutiu questões relacionadas com economia e também sociais. E até recebeu a segunda maior premiação da conferência por conta da desenvoltura.

Assim que a simulação acabou, Eloá foi contratada pela instituição que ofereceu a bolsa a ela. Agora, ela mesma organiza os eventos e também as atividades acadêmicas do instituto, enquanto ocupa o cargo de superintendente de ação integrada.

Toda essa experiência fez com que a estudante amadurecesse no âmbito profissional e também pessoal.

“Eu aprendi que a nossa opinião vale muito. A bolsa trouxe pra mim uma luz muito grande em relação a isso. Me apresentou um mundo completamente novo de oportunidades. Tive minha vida transformada. Hoje busco pensar e agir de uma forma que seja relevante pra o mundo”.

Para o futuro, Eloá despertou para a possibilidade de estudar no exterior.

“Conheci Harvard e fiquei deslumbrada. Me encantou muito”, destacou.

E no Brasil, ela pretende estudar Ciências Políticas ou Relações Internacionais, para se capacitar e construir uma carreira na área diplomática ou social.

Como chegar a Harvard ou ter outras oportunidades no exterior

Eloá aposta nas redes sociais, a exemplo de Instagram e TikTok, como fonte para encontrar oportunidades como a que ela vivenciou.

O próprio Instituto Diplomun abriu, neste mês de março, uma bolsa igual à que a paraibana ganhou.

Uma breve pesquisa no Google, segundo a jovem, pode ter como resultado várias possibilidade de sites que divulgam intercâmbios.

A dica da paraibana é estar pronto quando a oportunidade chegar. Para isso, ela indica o engajamento com projetos e atividades extracurriculares.

Quer conhecer mais histórias inspiradoras de estudantes paraibanos? Acesse a editoria de Educação do Jornal da Paraíba e fique por dentro de tudo.