STJD marca julgamento de acusados de corrupção no futebol da PB

Em caso de condenação, os envolvidos podem até ser banidos do futebol.


O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) marcou para a próxima quarta-feira (14) o julgamento dos acusados na Operação Cartola, que investigou esquemas de corrupção no futebol paraibano. Após a 3ª Comissão Disciplinar decidir, por unanimidade, que não tinha competência para julgar os denunciados, o Pleno é quem vai ter a missão de dar a sentença das 25 pessoas julgadas no âmbito esportivo. Em caso de condenação, os envolvidos podem até ser banidos do futebol.

Por infrações ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), ao Código de Ética da FIFA e também ao Estatuto do Torcedor, o STJD julga os 17 citados na denúncia inicial da Procuradoria: Amadeu Rodrigues, Breno Morais, Lionaldo dos Santos, Marinaldo Roberto de Barros, José Renato, Severino José Lima (Bina), Genildo Januário, Adeilson Carmo Sales, Antônio Carlos da Rocha (Mineiro), Antônio Umbelino de Santana, Eder Caxias, Francisco de Assis, João Bosco Sátiro, José Maria de Lucena Netto (Neto), Tarcísio José de Souza (Galeguinho), Josiel Ferreira da Silva (Pilar) e José Araújo da Penha.

Também vão ser julgados William Simões, ex-presidente do Campinense, Danilo Ramos, massagista do Campinense, e Francisco Carlos do Nascimento, árbitro alagoano conhecido como Chicão, também serão julgados.

Veja também  Campinense venceu todas as quatro disputas por pênaltis que enfrentou na temporada

O STJD vai julgar ainda outros dirigentes que pertenciam o Botafogo-PB. São os casos de José Freire da Costa (Zezinho Botafogo, ex-presidente do clube), Guilherme Carvalho do Nascimento (o Novinho, ex-vice-presidente), Francisco Sales Pinto Neto (ex-diretor executivo) e Alexandre Cavalcanti (ex-diretor jurídico).

Por fim, o empresário Alex Fabiano dos Santos, ligado ao CSA, também vai ser julgado no processo. Segundo o documento, ele faz parte do que as investigações consideram uma organização criminosa. Em uma das interceptações telefônicas, Alex Fabiano conversa com Breno Morais sobre uma possível alteração no borderô de jogos válidos pela Copa do Brasil para garantir uma parte da renda.

O julgamento do Pleno do STJD está marcado para as 10h (horário de Brasília) da próxima quarta-feira, na sede do Tribunal, no Rio de Janeiro. Vale ressaltar que, além do âmbito esportivo, a Operação Cartola também está sendo investigada na Justiça Comum.