Jogador do Campinense sai ferido após confronto iniciado por torcida do América-RN, em Natal

Lateral-direito Dênis sofreu corte na perna e precisou levar pontos. Após a pancadaria a diretoria do Campinense afirmou que irá levar o caso à CBF.

Reprodução / internet

A partida de abertura do mata-mata do acesso da Série D, entre América-RN e Campinense, saiu das quatro linhas e virou caso de polícia. Quem pensou que após o empate em 0 a 0 entre as duas equipes, só haveria confronto uma semana depois, no jogo da volta, se enganou. Acontece que um confronto entre torcedores do time potiguar e jogadores e membros da comissão técnica do Rubro-Negro acabou marcando a noite do último sábado, manchando o pós espetáculo dentro de campo. O lateral-direito Dênis acabou ferido, e a diretoria da Raposa irá levar o caso à CBF.

Depois do apito final, quando a delegação do Campinense já se preparava para deixar o hotel para iniciar a viagem de volta para Campina Grande, um grupo de torcedores de uma torcida organizada do time potiguar depredaram o ônibus da Raposa e invadiram o saguão do hotel, onde se iniciou uma verdadeira pancadaria. Na confusão o lateral-direito Dênis acabou ferido na perna e precisou de atendimento médico para levar alguns pontos. Apesar do ocorrido, o atleta e todo o restante da delegação passam bem.

Ferimento do lateral-direito Dênis | Foto: Divulgação /Campinense

O diretor de Marketing do Campinense, Danylo Maia, falou em nome do clube.

“Jantamos e na saída do hotel fomos surpreendidos por integrantes de torcidas organizadas do América-RN. Eles partiram para o confronto, apedrejaram o nosso ônibus. A delegação ainda recuou, mas eles insistiram no confronto e não tivemos outra alternativa senão enfrentá-los. Graças a Deus acionamos a polícia, que deteve um dos torcedores” – disse o dirigente, que prestou boletim de ocorrência numa delegacia em Natal.

A delegação do Campinense acionou a empresa responsável pelo ônibus, que enviou um outro veículo, e só assim a viagem da volta pode ser iniciada, rumo à Campina Grande, horas depois do programado. Segundo Danylo Maia, o clube irá encaminhar o caso à Federação Paraibana de Futebol e também à CBF.

Veja também  Tinga não fica no Botafogo-PB para a temporada 2022

“Infelizmente aconteceu isso num jogo de torcida única. A gente pede às autoridades e às federações, como também à própria CBF, que tenham mais cuidado com a organização do campeonato. Que possam reforçar o policiamento e garantam a integridade dos jogadores. A gente volta para Campina Grande e vamos fazer uma semana de muito trabalho para resolver isso dentro de campo. O Campinense vem sendo muito elogiado pela disciplina já que usa exclusivamente do futebol para competir” – disse o dirigente.

Danylo Maia ainda se mostrou confiante no acesso, e chegou fazer uma alusão à situação vivida em Natal como fator de motivação para o jogo decisivo contra o América-RN.

Imagem / Twitter PM-RN

“A torcida pode ficar tranquila que no sábado estaremos todos juntos no Amigão fazendo a festa. Esse acesso virá, debaixo de pau e pedra, mas esse acesso virá. O Campinense é um clube grande e querido, um clube centenário e merece todo respeito onde quer que vá” – finalizou o dirigente.

Essa é a segunda vez que o Campinense tem problemas com a torcida adversária na Série D. No duelo das oitavas de final contra o Guarany-CE, o ônibus do clube também foi atacado por torcedores após a vitória de 2 a 0 no Junco, em Sobral.

Em campo, América-RN empataram em 0 a 0 no jogo de ida do mata-mata do acesso. Quem vencer no próximo sábado, em Campina Grande, garante vaga na Série C de 2022. Um novo empate leva a decisão para os pênaltis.