Reinaldo Oliveira diz que não esperava por demissão do Nacional de Patos e nega confusão com a diretoria do clube

Anúncio da saída do técnico, assim como do diretor de futebol, Fernando Gaúcho, foi feito na tarde da última quinta-feira, pegando comissão técnica e atletas de surpresa.

Reprodução / TV Cabo Branco

Após a demissão do comando técnico do Nacional de Patos, o técnico Reinaldo Oliveira falou pela primeira vez, em entrevista exclusiva ao Globo Esporte. O ex-comandante do Canário afirmou disse ter ficado triste com a situação e que não esperava, mas que tudo aconteceu sem confusão, do contrario do que disseram alguns boatos que saíram nas últimas horas. Reinaldo aproveitou para agradecer o carinho do torcedor.

Reinaldo foi anunciado como técnico do Nacional de Patos ainda em dezembro de 2021, mas só chegou à cidade de Patos e iniciou os trabalhos com o elenco no dia 11 de janeiro, pois estava no interior de São Paulo, com a Perilima, disputando a Copa São Paulo de Futebol Júnior. O técnico comandou o time do Canário nos dois testes da pré-temporada e ficaria à beira do campo na noite desta sexta-feira, no confronto preparatório contra o Atlético de Cajazeiras, que acabou sendo cancelado depois das demissões — sua e do diretor executivo de futebol, Fernando Gaúcho. O ex-comandante do Naça falou sobre a saída inesperada e afirmou que tudo aconteceu por conta de algumas divergências com a diretoria e por questões financeiras do clube.

“Eu não esperava. Fico muito triste com a minha saída do Nacional de Patos, onde o trabalho estava sendo muito bem-feito, por mim, por toda a comissão, pelo Fernando Gaúcho. Tivemos um amistoso muito bom, a equipe rendeu bem, teve um desempenho bom, os atletas já tinham abraçado a minha ideia de jogo e o torcedor estava gostando do trabalho. Ontem (quinta-feira) o presidente me ligou e disse que, por alguma divergência de ideias, por uma situação financeira também, que o orçamento não caberia naquele momento, achou melhor parar o trabalho por ali. Lamentei muito, tentei ainda ver outra situação, mas ele já tinha tomado a decisão”, explicou Reinaldo.

O técnico seguiu falando sobre o período em que esteve no comando do time e afirmou estar triste com sua saída. Ele ainda aproveitou para reforçar que toda a situação da saída do clube aconteceu sem confusão e que, inclusive, ele foi alvo de calúnias.

“Estou muito triste, eu queria muito ter continuado e poder mostrar minha ideia. Tinha certeza que faríamos um grande Campeonato Paraibano. Mas quero desejar sorte, deixar as portas abertas, desejar sorte ao presidente, ao torcedor do Nacional, que é uma torcida sensacional, muito carinhosa, muito presente, e é uma pena não poder mostrar meu trabalho para eles. Tudo que se falou além disso que eu estou falando é mentira. Sempre fui um profissional íntegro, muito respeitado, correto dentro e fora de campo, então foi exatamente isso que aconteceu. Não teve confusão nenhuma. Saiu muita coisa por aí, algumas calúnias, coisas que me entristeceram bastante. Minha carreira fala por si “, disse o ex-técnico do Naça.

Veja também  Sousa emplaca 4 jogos sem derrota na Série D, entra no G-4 e terá 2 duelos seguidos contra o lanterna

 

Reinaldo, técnico do Nacional de Patos | Foto: Glêucio Lima / Nacional de Patos

 

Além de Reinaldo Oliveira, o diretor de futebol, Fernando Gaúcho, também foi desligado do clube na tarde de quinta-feira. O ex-dirigente marcou para a tarde desta sexta-feira uma entrevista coletiva, para falar sobre o que aconteceu, mas Reinaldo se adiantou a dizer que ele foi mais um a ser pego de surpresa.

“O Fernando Gaúcho também foi pego de surpresa, ele queria muito continuar. Nós formamos um time competitivo, estávamos esperando mais atletas. Acho que um dos motivos que pode ter causado isso é que eu queria mais quatro ou cinco peças, para deixar o elenco ainda mais forte, e o presidente disse que talvez não chegariam. Nós estávamos muito perto da estreia, nós tínhamos que correr, a gente sabe o tamanho do Nacional. Mas foi uma experiência muito boa, aprendi muito com os atletas. O Nacional pode ter certeza que ganhou um torcedor”, afirmou Reinaldo.

Com a demissão repentina, Reinaldo Oliveira está livre no mercado de trabalho, mas afirmou que ainda não tem proposta de um novo clube.

“Ainda não tenho proposta, está todo mundo fechado, os times todos com treinadores, mas vou continuar dando sequência na minha carreira, meus estudos, fazer alguns estágios, estudar e me preparar ainda mais, para quando surgir outra oportunidade eu estar preparado”, finalizou.