Petrúcio Ferreira fica em sétimo lugar em série com olímpicos no Troféu Brasil

Bicampeão paralímpico, porém, não conseguiu se classificar para a final dos 100m no Engenhão.

Petrúcio Ferreira no Troféu Brasil de atletismo, no Engenhão — Foto: Marcelo Barone

Petrúcio Ferreira ficou em sétimo lugar em sua série semifinal pelos 100m rasos do Troféu Brasil, no Engenhão. O atleta é Bicampeão paralímpico dos 100m rasos T47 – categoria para atletas com deficiência nos membros superiores – na Rio 2016 e em Tóquio 2020. O paraibano completou a prova em 10s52 correndo ao lado de atletas olímpicos.

Petrúcio esteve na disputa da última série pela semifinal dos 100m rasos, considerada a mais forte de todas. O paraibano esteve no páreo contra Erik Felipe, Rodrigo Nascimento, Felipe Bardi, Derick Silva e Jorge Vides, considerados grandes nomes do esporte.

Na raia 6, o paraibano bicampeão paralímpico completou a prova em 10s52, ainda distante do seu melhor tempo competindo entre atletas paralímpicos, que é de 10s29. Esse, recorde mundial paralímpico obtido do Desafio CBAt/CPB em março deste ano.

É a realização de um sonho (correr entre olímpicos). Hoje, consegui chegar a grandes competições, disputei uma Diamond League. Agora estou aqui no Troféu Brasil ao lado de atletas olímpicos. As pessoas podem pensar que é fácil, é só correr, mas tenho dificuldades porque tenho apenas uma mão. Mesmo assim, busco enfrentar os desafios e superar da melhor forma possível. Voltar a essa pista onde competi na Rio 2016 voltou todo aquele filme na minha cabeça, disse.

 

Veja também  Em noite inspirada, Hulk “esmaga” Flamengo e coloca o Atlético-MG em vantagem nas oitavas da Copa do Brasil