Entre Linhas

Treze sai de maior sequência sem vencer do século para invencibilidade de 7 jogos, mas precisa vencer reais concorrentes na Série D

Galo encostou de vez na briga pelo G-4 do Grupo 3 da Série D, mas ainda precisa conseguir vitórias sobre os concorrentes diretos

Foto: Cassiano Cavalcanti / Treze

Por Pedro Alves

O Treze vive uma boa fase. Após viver uma turbulência grande dentro e fora de campo na temporada, culminando com o registro de de sua maior sequência de jogos sem vencer do século, o Galo agora atravessa um momento melhor. Que não pode ser superestimado. Mas que está acontecendo, de fato. 

 

O Treze agora está há sete partidas sem saber o que é perder, com cinco empates e duas vitórias nesse período. Para quem fez história em termos negativos há algumas semanas, o momento é outro. 

 

Mais do que a invencibilidade, o Galo de Wellington Fajardo vive uma realidade importante. É que o Alvinegro entrou de vez na briga pela classificação, o que parecia inimaginável dias atrás. Para isso, no entanto, precisa vencer reais concorrentes pela vaga no mata-mata da Série D. 

 

O Treze tem 11 pontos e é o sexto colocado. Apesar da posição, o Treze está empatado com três clubes: Sousa, Campinense e Atlético-CE. As raposas do Ceará e da Paraíba estão dentro do G-4. Ou seja, atualmente, o Galo tem pontuação de zona de classificação. Para chegar na próxima fase vai precisar vencer, pelo menos, estes três adversários, para demonstrar que tem condição de avançar. O Treze encara todos ainda no torneio. 

 

Os dois triunfos do Treze, embora de muito valor, foram diante do Caucaia, lanterna e notadamente o pior time do Grupo 3. Os dois jogos foram fáceis, com o Galo sendo superior e controlando as duas partidas. É uma virtude? Claro! Mas os duelos vencidos evidenciam mais os problemas do Caucaia do que eventuais valores do Treze. O time de Wellington Fajardo segue precisando mostrar que contra adversários maiores na competição consegue vencer e não apenas empatar. 

 

O técnico, aliás, vem sendo o maior responsável dessa melhora do Treze em termos de resultados. Wellington Fajardo chegou ao time para substituir Tuca Guimarães, que caiu na quinta rodada, após um empate sem gols no Clássico dos Maiorais, contra o Campinense. Fajardo fez três jogos até aqui, empatou um e venceu dois. Mas ainda precisa se provar em duelos maiores dentro do grupo. A nova chance é neste sábado, pela 9ª rodada, diante do América-RN, na Arena das Dunas. O jogo começa às 15h.