Especialistas dão dicas para se sair bem no PSS

Confira dicas de professores, pedagogos, nutricionistas e de outros vestibulandos, para uma preparação eficiente para uma vaga na universidade.

Marina Magalhães, Jornal da Paraíba

Contagem regressiva para quem sonha em cruzar os portões de entrada da universidade: faltam 30 dias para o Processo Seletivo Seriado (PSS) 2009 da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Para as outras dezenas de vestibulares de todo o país, também restam pouquíssimas semanas, o que gera ansiedade, nervosismo e pressão nos vestibulandos – que podem colocar tudo a perder nesta reta final.

Para ajudar o candidato a concentrar o foco e tirar o melhor proveito dos últimos dias que antecedem a prova, o JORNAL DA PARAÍBA começa neste domingo a sua série Vestibular 2009. A primeira matéria reúne dicas de professores, pedagogos, nutricionistas e de outros vestibulandos, para uma preparação eficiente para o “fera” e também para os pais, que sofrem juntos na disputa por uma vaga na universidade.

A mudança no processo de seleção de algumas universidades públicas que passaram a adotar o modelo de avaliação seriada transformou os hábitos dos candidatos. Antes, os alunos costumavam se preocupar com o vestibular apenas no 3º ano do ensino médio. Mas o coordenador pedagógico do Colégio Motiva, Danilo Saraiva, explica que essa fragmentação em três etapas faz os alunos saírem do ensino fundamental com a cabeça voltada para o vestibular.

“É extremamente saudável que o aluno já tenha uma rotina de estudo constante antes mesmo de chegar ao ensino médio”, explica o especialista. Ele afirma que quando a família tem a oportunidade de acompanhar em casa a rotina de aula e a execução das tarefas dos estudantes, eles já chegam nessa etapa bem mais preparados. “Outros têm mais dificuldade de raciocínio, porque estudam na véspera. O resultado é que eles aprendem e depois esquecem”, revela.

Com o crescimento da concorrência, no vestibular ou no mercado de trabalho, o candidato precisa começar desde cedo a seguir uma rotina diária de estudo. A orientação do especialista é de pelo menos cinco horas por dia, todos os dias, para quem está em um ano decisivo do vestibular. “O conteúdo cobrado nas provas é bastante extenso e se o aluno não tiver disciplina diária fica perdido entre tantos assuntos”, justifica Saraiva.

Para ajudar neste processo, a proposta é traçar metas de revisão no 3º ano, já que muitos alunos ainda têm mais dois anos para dar conta nas provas. “Essa tomada de consciência é mais comum acontecer no meio do 3º ano. E é importante buscar a ajuda para estudar com os amigos e professores, aproveitar para tirar as dúvidas na escola”.

Tereza Vieira, estudante do 3º ano do Colégio Marista Pio X, lembra que só se deu conta da dimensão do vestibular no ano passado. “Quando fiz a prova do PSS1 não entendia como funcionava, não tinha encontrado o ritmo de estudo. Foi apenas no 2º ano que acordei para tudo isso”, relata a aluna de 17 anos. “Comecei a intensificar as horas de dedicação, abdicar de coisas menos importantes. Quando se faz vestibular para um curso como medicina tem que se sair bem em todas as matérias. Chego a estudar oito horas por dia”, revela.

Outro estudante que vai prestar vestibular este ano é Henrique Freire, de 17 anos, que também estuda no Marista. Ele quer passar para o curso de física e desde 2006 vem dobrando as horas de estudo dentro e fora da escola. “Acho importante estudar um pouco de tudo e não apenas as matérias da minha área. Muitas disciplinas podem ser usadas na sociedade, levadas para atividades na vida prática”, acrescenta.
 

Veja também  Chuvas intensas fazem aeronaves com destino a João Pessoa mudarem rota para Recife