Irã pode ter bomba atômica, diz ONU

Diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Yukiya Amano, afirmou ontem que não poder garantir que o programa nuclear iraniano não tenha objetivos militares.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Yukiya Amano, afirmou ontem que não poder garantir que o programa nuclear iraniano não tenha objetivos militares. Em discurso na abertura da conferência geral da agência vinculada à ONU (Organização das Nações Unidas), o chefe do órgão voltou a pedir mais cooperação e transparência de Teerã para solucionar as dúvidas da comunidade internacional.

"O Irã não está facilitando a cooperação necessária para dar garantias sobre a inexistência de material e atividades não declaradas. Portanto, não podemos concluir que todo o material nuclear no Irã é para atividades pacíficas", disse.

Amano lembrou que em novembro tinha informado que tinha informações confiáveis da existência de experimentos iranianos relacionados com o desenvolvimento de um artefato nuclear explosivo.

Veja também  Ligação do Altiplano com o HU e cassação de chapa eleita em setembro em Gado Bravo são os destaques da semana

Por isso, pediu a Teerã esclarecimentos sobre o assunto.
Ele reconheceu que o diálogo com Teerã ficou mais intenso, mas lamentou que não foi possível chegar a resultados concretos e se colocou à disposição para chegar a um acordo.

Reunião
As declarações de Amano vêm um dia antes da reunião do grupo 5+1 – formado por Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha– com representantes da República Islâmica.
Nesta segunda, a chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, anunciou que pedirá às autoridades iranianas que façam o necessário para garantir mais confiança sobre o programa nuclear.