Governador exonera Edvaldo Rosas e Cláudia Veras, investigados em ‘esquema’ na Calvário

Ex-secretária de saúde do Estado foi presa nesta terça-feira. Já Edvaldo Rosas também é investigado por envolvimento no esquema

Foto: Secom

Após mais uma fase da Operação Calvário, que abalou nesta terça-feira (17) a política paraibana, o governador João Azevêdo (sem partido) exonerou a ex-secretária de saúde do Estado, Cláudia Veras, e o ex-presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas – ambos alvos na operação Juízo Final do Gaeco e da Polícia Federal.
Cláudia Veras deixa a Secretaria de Executiva de Desenvolvimento e da Articulação Municipal, após ser presa preventivamente. Já Rosas deixa a Secretaria de Governo e também  foi alvo de mandado de busca e apreensão nesta terça-feira.

Veja também  João Pessoa foi a terceira cidade mais procurada para turismo no Brasil em setembro


De acordo com as investigações do Gaeco, a ex-secretária de saúde teria tido participação ativa no esquema de desvios de recursos públicos e pagamento de propina, investigado na Calvário. Já Edvaldo Rosas é apontado como beneficiário direto de propinas. A exoneração de Rosas foi feita a pedido.