Estado de calamidade pública é decretado em Bananeiras por causa da crise hídrica

A decisão deve durar pelos próximos 180 dias e estado solicita recursos ao Governo Federal

Foi decretado nesta quarta-feira (22) estado de calamidade pública na cidade de Bananeiras, no Brejo paraibano. A medida publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) foi tomada por causa da grave crise hídrica que assola a região. 

De acordo com o documento, o decreto passa a valer a partir de agora e dura, inicialmente, 180 dias. Segundo os números atualizados da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), o reservatório de Bananeiras está na faixa laranja, cor definidora em estado de observação. Municípios catalogados assim são os que possuem reservatórios com capacidade preenchida inferior a 20%, Bananeiras registra, nesta quarta-feira (22) 5,09% da capacidade total preenchida. 

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba  (Cagepa) anunciou a suspensão do abastecimento regular de água em Bananeiras no dia 6 de setembro. À época, a companhia afirmou que a barragem de Canafístula, reservatório que abastece a cidade, secou e não havia mais possibilidade de captar água para distribuição.

O estado de calamidade pública aplicado diz respeito, principalmente, ao âmbito financeiro. A situação anormal que, neste caso, foi decretada pelo poder legislativo da Paraíba alega que o estado não tem mais meios para lidar com a crise e necessita de intervenção do Governo Federal com medidas emergenciais de apoio. 

Está prevista uma reunião para esta quinta-feira (23) onde Bananeiras receberá o ciclo re reuniões promovido pela Aesa para debater o Plano Estadual de Recursos Hídricos (PERH). O material foi lançado e 2006 e não foi atulizado desde então. Dados e informações do Plano são necessárias para formular um planejamento acersa da gestão dos recursos e das eventuais crises.

Veja também  Postes caem e interditam trânsito na principal dos Bancários, em João Pessoa