Três cachaças paraibanas conquistam medalhas no principal concurso de bebidas do mundo

Destaque para a Matuta Single Blend, que levou a Grande Medalha de Ouro e foi considerada uma das 12 revelações do ano entre todos os tipos de bebidas.

Cachaça (Foto: Kleide Teixeira)

Cachaças paraibanas conquistaram três prêmios no Concurso Mundial de Bruxelas de 2021, naquele que é considerado a premiação sobre bebidas mais prestigiada do mundo. O resultado foi divulgado na quarta-feira (3) na capital da Bélgica.

Menção especial para a Cachaça Matuta Single Blend, fabricada em Areia, única das paraibanas a ser agraciada com a “Grande Medalha de Ouro”, a mais importante das três que são distribuídas. O produto foi considerado uma das 12 revelações do concurso deste ano, independente do tipo de bebida, e foi qualificada como tendo uma “qualidade indisputável”.

Além da Matuta, outras duas cachaças paraibanas foram agraciadas com a Medalha de Ouro, a segunda mais importante. A Cachaça Baraúna Carvalho Premium, de Alhandra; e a Cachaça Boa do Brejo Cristal, outra representante de Areia.

Concurso de Cachaças

O concurso belga avalia dados como o visual da bebida que está sendo avaliado, questões olfativas, paladar e personalidade. São mais de 100 jurados de diversos países do mundo que atribuem nota ao produto a partir desses critérios e, a partir daí, as melhores bebidas do planeta são premiadas.

Veja também  Homem é preso na PB suspeito de armazenar e compartilhar pornografia infantil

Pelas regras do concurso, apenas 30% das bebidas inscritas ganham medalhas, que variam em grau de importância. A Grande Medalha de Ouro, a Medalha de Ouro e a Medalha de Prata.

Ao todo, 59 cachaças brasileiras foram premiadas. Dessas, apenas três foram consideradas revelações e 10 receberam a Grande Medalha de Ouro, estando entre essas a Matuta. Foram distribuídas ainda 27 medalhas de ouro e 22 medalhas de prata.

Cachaça Matuta
Matuta leva a Grande Medalha de Ouro e um prêmio de revelação