Caso Kelton: Justiça da PB nega habeas corpus a suspeito de matar motoboy

O empresário Ruan Ferreira é acusado de matar o entregador, atingido por um carro em alta velocidade no dia 11 de setembro deste ano, em João Pessoa.

Ruan Macário, acusado de matar motoboy Kelton Marques. Foto: Divulgação/ Redes sociais

O Tribunal de Justiça da Paraíba negou, nesta sexta-feira (12), o pedido de habeas corpus feito pela defesa do empresário Ruan Ferreira. Suspeito de matar o motoboy Kelton Marques, o empresário está foragido há mais de dois meses e teve mandado de prisão preventiva decretado por homicídio doloso.

O motoboy Kelton Marques morreu após ser atingido por um carro em alta velocidade, dirigido por Ruan, no dia 11 de setembro deste ano, em João Pessoa. A decisão desta sexta (12) foi proferida pelo juiz convocado Carlos Antônio Sarmento.

Nos autos, a Justiça alegou que o relaxamento da prisão já havia sido solicitado pela defesa e que o pedido anterior já passou por análise, e este atua como “mera repetição”. 

A defesa de Ruan pediu habeas corpus com alegação de que não há provas materiais suficientes para que ele seja considerado procurado, sob o argumento de que a ausência da localização específica do empresário não significaria, necessariamente, uma fuga. 

Entenda o caso

O entregador Kelton Marques morreu após ser atingido por um carro em alta velocidade, no Retão de Manaíra. Moradores da região afirmaram que a colisão aconteceu por volta das 4 horas da manhã.

A equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas quando chegou a vítima já estava sem vida. Kelton Marques tinha 33 anos, duas filhas e morava em Santa Rita. Ele trabalhava em um restaurante que atendia nas madrugadas, e na hora do acidente já tinha terminado as entregas do dia e voltava para casa.

Com o impacto, a vítima chegou a ser arremessada e a motocicleta teve destruição total. O carro ficou parcialmente destruído. De acordo com o delegado do caso, Luiz Eduardo, latas de cerveja e substâncias entorpecentes estavam espalhadas pelo carro do motorista.

Imagens do carro do motorista foram divulgadas à imprensa, onde foi possível perceber que além de estar a 163 km/h, o sinal vermelho foi ultrapassado.

De acordo com informações da equipe dos Bombeiros, o motorista não chegou a ser socorrido pois fugiu do local, sem prestar socorro. Ele ainda não foi localizado pela polícia.

O acidente aconteceu no sentido que vai para a Orla da capital, quando o condutor do carro passava pela Flávio Ribeiro e o motociclista cruzava pela Mirian Barreto. A força do impacto chegou a derrubar o muro de um residencial que fica no local.

Veja também  Hebert Araújo ganha prêmio ABMES de Jornalismo com reportagem da CBN João Pessoa