Trio é preso após tentar assaltar banco e fazer 30 reféns em CG

Assaltantes fingiram ser clientes e anunciaram o assalto. Eles chegaram a pegar uma grande quantia em dinheiro, mas, foram presos abordados na hora da fuga.

O pânico tomou conta do centro da cidade de Campina Grande durante a manhã desta segunda-feira (2). Três homens armados invadiram a agência do banco Santander e anunciaram um assalto. Pelo menos 30 pessoas foram feitas reféns, entre clientes e funcionários. Os bandidos chegaram a pegar uma grande quantia em dinheiro, mas, na hora em que se preparavam para fugir foram cercados pela polícia. 

Após pouco mais de uma hora de negociação, aos poucos os acusados liberaram armas e reféns em trocas de ligações para familiares deles. A presença da imprensa foi exigida no momento em que eles se entregaram. Os acusados estavam armados com duas pistolas e um revólver. A polícia tenta identificar a participação de outras pessoas. Um dos envolvidos disse que era do estado do Pará. 
 
Os três acusados e algumas das vítimas foram levadas para a Central de Polícia, no bairro do Catolé, em Campina Grande, onde serão devidamente identificados e autuados em flagrante. Em conversa com a imprensa os acusados se identificaram como Orlando dos Santos Pinheiro Júnior, 28 anos, Evandro José da Silva Filho, 34 e Davison José, 25.
 
O assalto com reféns começou por volta das 9h. Segundo as vítimas, os acusados chegaram na agência como se fossem clientes e chegaram a pegar senha na fila de espera. Momento depois anunciaram o assalto e ordenaram que todos deitassem no chão. Ainda foram ouvidos alguns disparos dentro da agência. 
 
Um mutidão de aproximadamente 2 mil pessoas se aglomerou nas imediações da agência no momento do assalto
 
A Polícia Militar foi acionada e logo isolou a área do banco, que ficou tomada por cerca de 2 mil curiosos. Pelo menos dez viaturas da polícia estavam em frente ao banco com armas apontadas para os acusados. As negociações foram feitas por um policial do batalhão de Força Tática, que aos poucos foi conseguindo convencer os bandidos entregarem as armas e soltarem as vítimas. Ninguém ficou ferido. A gerência do banco ainda não se pronunciou sobre o assunto.
 
O comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar (2ºBPM), destacou a tranquilidade da negociação. “Recebemos a ligação de que poderia está havendo um assalto e logo cercamos toda a área e confirmamos que de fato estava acontecendo. Os primeiros momentos foram de nervosismo, mas aos poucos as negociações andaram. Os acusados pediram para que ligássemos para parentes deles e em troca pedimos a liberação de armas e reféns. Assim, tudo ocorreu bem e vale destacar que não houve nenhuma vítima ferida, apenas o trauma das ameaças que foram feitas, durante a ação”, disse o comandante. 

Veja também  Homem é preso e material hospitalar é apreendido, em Cajazeiras, na Paraíba