Com mais duas mortes, sobe para 15 o número de homicídios em CG no mês

Envolvimento com drogas por ter provocado crimes nos bairros Três Irmãs e Santa Rosa.

Último crime foi praticado por Lenilson, que tirou a vida de Verísssima e depois se matou

Em menos de 9 horas, a Polícia registrou mais dois assassinatos em Campina Grande, elevando para 15 o número de homicídios, em 30 dias, ou seja, um crime a cada dois dias. O último crime ocorreu, às 8 horas, desta terça-feira (30), no bairro Três Irmãs. O mototaxista Lenilson Cavalcante, de 44 anos, assassinou a tiros a própria esposa, Maria Veríssima de Brito, de 47 anos, e depois se matou.

Segundo familiares, Lenilson estava tendo alucinações por causa das drogas, inclusive tinha pedido há uma semana auxílio para se tratar. O casal morava no Sítio Lucas e se mudou para o bairro Três Irmãs para o mototaxista tentar se livrar das drogas. Todavia, quando ficou drogado brigou com a Veríssima, culminando com o assassinato seguido de suicídio. Lenilson e Veríssima estavam casados há 14 anos e tinham uma filha de 10 anos.

Dinamérica

Na segunda-feira (29), por volta das 23h20, o catador de produtos recicláveis Patrício da Costa Lucena, de 38 anos, foi morto a tiros, na Avenida Dinamérica Alves Correia, no bairro Santa Rosa. Familiares acreditam que o assassinato de Patrício pode ter sido provocado por dívida com traficantes, visto que ele era usuário de crack.