Projeto que auxiliam soropositivos na Paraíba será exposto em evento nacional

Desde 2015, a Casa de Convivência João Paulo II presta serviço no Estado.

HIV, Aids, teste rápido
HIV, Aids, teste rápido
Programa da Arquidiocese surgiu em 2015 através da Casa de Convivência João Paulo II. Foto: Rizemberg Felipe

Um programa de assistência e prevenção direcionado a pessoas que vivem e convivem com HIV/AIDS na Paraíba resultou em um trabalho científico aprovado para ser exposto no XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST/VIII Congresso Brasileiro de AIDS e o III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS. Por meio da ação, realizada Arquidiocese da Paraíba, por meio da Ação Social Arquidiocesana (ASA), são produzidos medicamentos fitoterápicos para portadores de HIV e para pessoas de baixa renda.

O evento será realizado no período de 22 a 25 de setembro, em Foz do Iguaçu (PR). O trabalho tem como título “As terapias naturais e complementares aplicadas em pessoas com HIV e AIDS como práticas preventivas e coadjuvantes da Medicina Convencional”.

O projeto surgiu em 2015 através da Casa de Convivência João Paulo II. O foco do “Vida Positiva” tinha como objetivo levar à população mais simples meios baratos, eficientes, seguros e de fácil aquisição, através do poder preventivo das plantas medicinais. A iniciativa se propunha a formar um grupo de vinte pessoas portadoras de HIV para passar por capacitações de estudos das plantas e de elaboração dos remédios caseiros, sob acompanhamento de um terapeuta com formação fitoterápica.

Nos anos seguintes (2017 e 2018) a proposta contou com novas perspectivas de integração dos envolvidos, e passou a ajudar ainda mais pessoas portadoras da doença. O secretário-executivo da Ação Social Arquidiocesana, padre Egídio de Carvalho Neto explica que os medicamentos fitoterápicos tanto são usados pelos próprios portadores do vírus HIV/AIDS como também por pessoas de baixa renda.

“É um projeto muito interessante, primeiramente porque ele produz renda para os próprios portadores que estão produzindo esses medicamentos, segundo porque a intenção desses medicamentos é a de que eles possam auxiliar no tratamento que os portadores fazem nos hospitais de referência”, conta.

Resultados significativos

Foram obtidos resultados significativos em vários aspectos como a diminuição de dores crônicas e articulares, introdução de hábitos alimentares saudáveis, entre outras melhorias. O padre Egídio ainda contou que a Ação Social Arquidiocesana da Paraíba decidiu inscrever o projeto junto ao Ministério da Saúde e a outras entidades, que prontamente ouviram falar da ação e convidaram os envolvidos para participar de várias iniciativas.

A Casa de Convivência João Paulo II ainda criou uma cartilha em forma de manual de orientação, que, segundo a coordenadora do local, Maria Goretti Felismino, será de grande apoio nas oficinas que acontecem para prestar auxílio concreto ao dia-a-dia das pessoas. A inciativa é realizada com o apoio do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que financia empreendimentos locais e ambientalmente sustentáveis, fomentando o desenvolvimento comunitário com base nas necessidades, práticas e culturais locais.