Paraíba inicia distribuição de testes rápidos de Covid-19 em hospitais e UPAs nesta quinta

Inicialmente serão aplicados 20 mil testes rápidos, de um total de 310 mil que foram contratados.

Foto: Ministério da Saúde / BBC
Foto: Ministério da Saúde / BBC

A partir desta quinta-feira (23), pacientes internados em hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) com sintomas gripais graves terão a oportunidade de serem submetidas a testes rápidos para diagnóstico do novo coronavírus (Covid-19). A informação foi confirmada nesta quarta-feira (22) pelo secretário estadual da Saúde, Geraldo Medeiros, em videoconferência com os deputados da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Osa primeiros testes já devem ser realizados nesta sexta-feira (24). Inicialmente serão aplicados 20 mil testes rápidos, de um total de 310 mil que foram comprados pelo governo da Paraíba. O primeiro lote foi remetido de São Paulo na última segunda-feira (20) e chegou nesta terça (21), em um avião do estado, a pedido do governador João Azevêdo (Cidadania).

A secretária executiva da Saúde da Paraíba, Renata Nóbrega pontua que eles estarão disponíveis nas unidades de pronto-atendimento de gerência estadual e a oferta será ampliada à medida que surgir a necessidade.

“O Conselho de Secretários Municipais de Saúde ainda não enviou sugestões para priorização de serviços, mas esses locais podem ser ampliados. Começamos a distribuição nesta quinta aos serviços de saúde e fará um alinhamento com as equipes para começar a testagem”, observa

Renata Nóbrega explica que para fazer o teste rápido é preciso seguir alguns critérios. “Eles serão utilizados com a população que apresente um quadro de síndrome gripal como febre, dor de garganta. A prioridade é para as pessoas que estejam no terceiro dia dos sintomas.  Por exemplo, uma pessoa que começou a ter febre hoje, não poderá ser testada hoje”, destaca.

 

Redução da letalidade

 

Geraldo Medeiros disse que a expectativa com a ampliação da testagem em massa é reduzir o auto percentual de letalidade na Paraíba. Segundo dados do sistema do Ministério da Saúde, o estado tem o maior percentual no comparativos de casos confirmados e de mortes, com 12,5%.

“Teremos um crescimento grande de casos confirmados e isso deve reduzir o percentual de letalidade. Com base nisso poderemos analisar mais fielmente a curva de crescimento dos casos de coronavírus”, alertou o secretário Geraldo Medeiros.

O secretário executivo da saúde, Daniel Beltrami, disse que a Paraíba está em torno de 610 casos, considerando uma variação de 5% para mais e para menos, considerando a curva de crescimento nacional. “Com as testagens rápidas, reiteramos, teremos esse número mais próximo da realidade”, completou.