Paraíba reduz casos de lesão corporal contra mulheres, mas fica abaixo da média nacional

Segundo Anuário da Segurança, estado teve a sexta menor redução neste ponto.

Dia da Mulher: Saiba quais as leis protetivas contra violência de gênero

O número de lesão corporal dolosa tendo vítimas do sexo feminino na Paraíba teve um decréscimo de 0,3%, quando comparados o primeiro semestre de 2019 e o primeiro semestre de 2020, passando de 1.569 para 1.564 casos registrados, segundo dados do 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta segunda-feira (19).

Embora tenha havido uma diminuição no número, a Paraíba ficou muito atrás no que diz respeito à média nacional, que teve uma redução de 9,9% no número total, passando de 122.948 para 110.791. Quando observadas as taxas por estado, verifica-se que a Paraíba foi o sexto estado com menor redução, ficando melhor apenas que Rondônia, Roraima, Goiás, Espírito Santo e Rio Grande do Norte.

Já o número de ameaças, quando consideradas as vítimas do sexo feminino, teve uma redução de 15,7% quando comparado o mesmo período, passando de 478 para 403 casos. O número de estupros com vítimas do sexo feminino, observando-se o primeiro semestre de 2019 e de 2020, também apresentou uma queda, dessa vez de 59,8% – enquanto que no primeiro semestre de 2019 foram registrados 87 estupros, no mesmo período de 2020 foram 35.

Outro dado que merece destaque no anuário diz respeito às ligações ao 190 que foram registradas sob a natureza de violência doméstica: esse número aumentou 4,9% na Paraíba entre o primeiro semestre de 2019 e o primeiro semestre de 2020, passando de 1.853 ligações para 1.944 ligações.

O JORNAL DA PARAÍBA entrou em contato com a Secretaria de Segurança, para que o órgão falasse sobre os dados, mas ainda não teve retorno.

Crimes patrimoniais

Em relação aos crimes patrimoniais, a Paraíba apresentou um aumento de 16,1% no número de roubo de veículos, comparando-se o primeiro semestre de 2019 e o primeiro semestre de 2020, passando de 1.699 roubos no primeiro período para 1972 no segundo. Em relação ao número de furto de veículos, o aumento foi de 12,4%, passando de 539 para 606.

O roubo de cargas, por sua vez, apresentou uma redução de 50% entre os períodos, passando de oito casos registrados para quatro. Em 2019, durante o período avaliado, foram 2.632 roubos a transeuntes, enquanto que em 2020 foram 1994, uma diminuição de 24,2%. Os roubos a residências também apresentaram baixa: de 233 para 229, um decréscimo de 1,7%. O roubo a estabelecimento comercial, por sua vez, passou de 570 para 492, uma diferença negativa de 13,7%.