Dois pacientes transferidos de Manaus para a Paraíba estão na UTI

Pacientes estão internados no HU, em João Pessoa, para tratamento de covid-19.

Foto: Divulgação/Rede Ebserh
Foto: Divulgação/Rede Ebserh

Dois pacientes de Manaus, internados no Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), em João Pessoa, foram transferidos para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) nesta segunda-feira (18). Eles fazem parte de um grupo de 15 pacientes que foram transferidos da capital do Amazonas para tratamento de covid-19 na capital paraibana. Os outros 13 pacientes continuam estáveis na enfermaria.

De acordo com a assistente social Késsia Vasconcelos, alguns familiares de pacientes internados no hospital universitário de João Pessoa viajaram para a cidade para acompanhar mais de perto o tratamento. “Nós estamos dando assistência também para esses familiares que estão chegando a João Pessoa. Entendemos que é uma questão de família, de querer estar perto mesmo não tendo o contato, eles acham mais seguro estar aqui”, disse.

A profissional também tranquilizou os familiares que estão no estado do Amazonas e informou que o boletim médico é realizado todos os dias, com ligação dos médicos para as famílias. “Estamos realizando as videochamadas todos os dias e queremos dizer que aqui não está faltando nada para eles. Hoje nós temos duas famílias aqui em João Pessoa e estamos dando todo o suporte desde a hospedagem até a alimentação”, disse.

 

Transferência

A Paraíba os 15 pacientes transferidos de Manaus, na noite de domingo (17). Os pacientes saíram da capital do Amazonas em um voo da Força Aérea Brasileira (FAB), pararam no Maranhão para reabastecimento da aeronave e chegaram à capital paraibana por volta das 23h20. A ação é uma parceria entre a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal que administra 40 hospitais universitários federais, e o Ministério da Saúde.

A média de idade dos pacientes gira em torno dos 50 anos e todos apresentavam condição clínica estável, conforme a assessoria de comunicação da unidade de saúde. Os 15 pacientes, dos quais 12 são homens e três mulheres, foram submetidos à coleta swab, para o exame RT-PCR, e também a exames de sangue, a fim de identificar o estado geral de saúde. Após a internação no HULW, a bagagem dos pacientes passou por um processo de higienização.

As equipes médicas fizeram contato direto com os familiares para aqueles pacientes que tinham condições de conversar, já que não foi permitido o transporte dos acompanhantes. Os parentes dos pacientes mais debilitados receberam notícias por meio dos psicólogos responsáveis.