Novo prefeito interino de Patos exonera servidores comissionados para economizar

Decreto de Sales Júnior só não atinge secretários e funcionários de setores estratégicos.

O prefeito interino de Patos, Francisco de Sales Júnior (PRB), exonerou todos os servidores comissionados da administração direta e indireta do município.A medida foi tomada através de um decreto publicado no Diário Oficial do município e tem o objetivo de reduzir despesas. Sales assumiu a prefeitura na sexta-feira (5) e é o quinto prefeito da cidade em dois anos e meio.

De acordo com o decreto do prefeito, a exoneração coletiva acontece pela necessidade de adoção de medidas administrativas imediatas para redução de despesas com pessoal. O documento estabelece que não estão incluídos, em razão da necessidade do serviço público, os secretáriosm, superintendentes de autarquias e o presidente da Fundação Cultural (Fundap). Também não são atingidos servidores de áreas estratégicas da administração, como os componentes das comissões de licitação e do concurso público, bem como da tesouraria e de tributos.

Veja também  Politizades: Você sabe o que são os três poderes e as razões da separação? 

O prefeito ressalta no decreto que as novas nomeações de cargos comissionados só vão acontecer após criteriosa justificativa escrita e pessoal apresentada por cada secretário.

Até dezembro de 2018, de acordo com as últimas informações do sistema Sagres, do Tribunal de Contas do Estados, o município tinha 609 servidores comissionados e gastava com eles R$ 1,6 milhão ao mês.

Posse após renúncia

Presidente da Câmara, Francisco de Sales Júnior (PRB), foi empossado, no final da tarde de sexta-feira (5), no cargo de prefeito de Patos. Ele assumiu a chefia do Poder Executivo após o prefeito em exercício, Bonifácio Rocha (PPS), renunciar ao mandato. Já o prefeito Dinaldinho Walderley (PSDB) está afastado do cargo por decisão judicial. Diante da crise política e financeira, Sales disse que o município precisa encontrar novos caminhos.