Futuro secretário de Saúde de João Pessoa defende reabertura das escolas

Médico Fábio Rocha disse que as escolas são fundamentais para a vida das pessoas.

O médico Fábio Rocha, indicado pelo prefeito eleito de João Pessoa, Cícero Lucena, para a Secretaria Municipal de Saúde, defendeu nesta terça-feira (29) a reabertura das escolas. Em entrevista à TV Cabo Branco, ele disse que está elaborando junto à futura secretária de Educação, América Assis, um plano escolar para ano letivo 2021, que incluir a abertura de matrículas e o retorno das aulas presenciais a partir do próximo ano na capital.

“No meu entender tem que voltar as escolas. As medidas têm que ser preventivas e serem aplicadas. Não tem porque as escolas estarem fechadas. Não consigo entender como temos medidas até de fazer festa e não abrir as escolas. Vamos fazer o possível do que se conhece cientificamente vamos lutar e muito para abrir as escolas”, pontuou o médico.

Na opinião de Fábio Rocha, a população de João Pessoa está estressada com as coisas que não funcionam mais. “A dor de uma família de não ter um filho na escola, a dor da mãe que tem um filho com autismo e ele estar involuindo por falta de socialização na escola, isso tem que ser revisto. As escolas são fundamentais na formação das pessoas”, comentou.

 

Divergência

 

O posicionamento do futuro auxiliar do prefeito na área da Saúde diverge do posicionamento da atual gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PV), que optou por manter as escolas fechadas até o fim do ano letivo, bem como também do governador João Azevêdo (Cidadania), grande aliado político de Cícero Lucena. João vem adotando medidas ponderadas, planejando um possível ensino híbrido, a depender do resultado do inquérito sorológico. Na semana passada ele adiantou que a faixa etária com maior contaminação pela Covid-19 é a dos estudantes entre 9 e 14 anos.

Fábio Rocha disse que apesar da aparente divergência em relação a volta às aulas, ele vai procurar a equipe do secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros, para chegarem a um denominador comum. “Vamos juntos, porque não tem porque nessa hora estarmos de mãos dados, independente de cor partidária, que não é o meu caso, em prol do melhor. Acredito que chegaremos a medidas que seja bom para todos”, antecipou.

Veja também  Politizades: Você sabe o que são os três poderes e as razões da separação? 

Além das escolas, Fábio Rocha também defende a ampliação do horário de funcionamento de alguns estabelecimentos, como bancos e demais correspondentes bancários para evitar aglomerações desnecessárias. “Temos que prolongar o expediente bancário. Não é justo as pessoas estarem se aglomerando quando a meta é não se aglomerar numa fila de um em frente do outro. São medidas que não tem muito custo e busca o equilíbrio que nós perdemos”, afirmou.

 

Vacinação obrigatória

 

O médico também defendeu a vacinação para covid-19 em massa e obrigatória assim que o antídoto for liberado pelo governo federal. Fábio Rocha disse que pretende articular com a equipe de Cícero Lucena uma campanha massiva para convencer as pessoas a se vacinarem. “Defendo inteiramente uma campanha inteligente para fazer as pessoas se vacinarem. Sabe-se que o feito colateral é mínimo. As vacinas modernas têm uma tecnologia fantástica”, explicou.

Fábio Rocha disse ser contrário a “pegar pelo braço e levar”, mas que é possível exigir a comprovação da vacinação para algumas situações, o que estimularia a população a se submeter a vacina. “Quando as pessoas viajam para algum pais se vacinam sem questionar. Ela é a coisa mais segura que teremos e na concepção ela pode chegar a ser obrigatória”, comentou.