João Paulo Medeiros

Econômico nas nomeações, Bruno projeta concurso na Educação, Saúde e Guarda para 2022

Prefeito disse, contudo, que certame dependerá das condições fiscais e financeiras da PMCG

Foto: Ascom

Os primeiros 15 dias da gestão Bruno Cunha Lima (PSD) foram marcados por ‘torneiras fechadas’, ou pelo menos ‘semiabertas’, quando o assunto é a nomeação de cargos comissionados. Ele indicou até agora nomes para o 1º escalão e alguns técnicos, para garantir o mínimo funcionamento da máquina.
O prefeito tem sido econômico, também, na contratação de servidores por excepcional interesse público – uma exceção perigosa para as gestões municipais que virou regra, na Paraíba, nos últimos anos.
E tem sofrido críticas, ainda que nos bastidores, por isso. Muitas delas de pessoas ligadas à classe política.
Ao mesmo tempo em que, aparentemente, tenta segurar os gastos, Bruno projeta a realização de concurso público para as principais ‘pastas’ da prefeitura, em 2022.
Educação, Saúde, Procuradoria e a Guarda Municipal seriam alguns dos setores contemplados com a contratação de professores, pedagogos, médicos, psicólogos, enfermeiros e guardas municipais. A ideia é não criar novos cargos, mas preencher, com concursados, aqueles que estiverem vagos.
“A pretensão é realizar, mas vai depender da condição fiscal e financeira”, ponderou o prefeito, em entrevista à Rádio CBN anteontem.
Ao seu estilo, Bruno tem sido o mesmo da campanha. Tem repetido o “sim, sim… não, não”, inclusive na hora usar a caneta.

Veja também  No dia da visita de Bolsonaro, Parque do Povo canta ‘olê, olá’ de Lula em Show de Juliette