Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Prefeitura de Areia retira faixas educativas sobre Covid e gera polêmica com setor de turismo

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação/Atura

A prefeitura de Areia, no Brejo paraibano, e a Associação de Turismo de Areia (Atura) se envolveram em uma nova polêmica, que tem dividido opiniões entre os moradores da cidade. O imbróglio de agora teve início após a entidade instalar faixas educativas, estimulando o turismo responsável na cidade com uso de máscara.

As faixas foram fixadas pela Atura em alguns pontos do município, tanto na zona rural, quanto no núcleo urbano, na semana passada. Não demorou nem 24 horas e a prefeitura mandou retirar todas elas. Segundo representantes da Atura, retiraram até uma que estava no campus da UFPB, área federal em que a prefeitura não poderia intervir.

A confusão foi armada. No fim de semana, moradores passaram a questionar a postura da prefeitura nas redes sociais, em especial pessoas ligadas ao comércio e o setor do turismo. Alegam que a ação tem como objetivo tentar impulsionar o turismo local, tão afetado pela pandemia e sem qualquer apoio da gestão municipal.

Sem autorização

A prefeitura, por sua vez, alega que as faixas foram retiradas, temporariamente, por afronta à legislação municipal que exige “prévia comunicação à prefeitura e efetiva licença para fazê-lo”. Nesse requerimento, é necessária a indicação da natureza do material de confecção, a indicação dos locais em que serão colocados ou distribuídos os cartazes ou anúncios, as dimensões; as inscrições e o texto e as cores empregadas. O que não teria sido feito pela Atura.

Veja também  Orçamento de R$ 14,36 bilhões da Paraíba é sancionado com veto do governador

O procurador do município, Rodrigo Rabello, disse que a Atura será notificada ainda nesta segunda-feira (28) para decidir se ainda querem colocar as faixas ou se vão desistir e recolher o material, que está na Secretaria de Infraestrutura.

Rodrigo afirmou que a prefeitura tem interesse em auxiliar na campanha, desde que não afete a estrutura paisagística do município. Também explicou que a faixa retirada na UFPB estava na área externa, em terreno do município. “Estamos à disposição do diálogo para resolver da melhor maneira, não nos indispomos contra a iniciativa”, reiterou.

Outra polêmica

Esta não é a primeira vez que a gestão municipal e as entidades do turismo local entram em disputa por questões paisagísticas na cidade. A primeira envolveu a colocação de vasos nas calçadas históricas. Eles foram retirados após decisão judicial, que entendeu eles estavam instalados em área tombada como patrimônio histórico da cidade.

O paisagismo realizado pela Atura, no entanto, era considerado ponto forte do turismo e considerado uma marca registrada de Areia.